Crónicas

Calamidade ou Catástrofe

« Para todos os males, há dois remédios: o tempo e o silêncio »

Alexandre Dumas ( 1802 – 1870)

Os eleitores americanos estarão a perguntar-se: qual dos candidatos é o mal menor? Enquanto no resto do mundo a pergunta é: qual é a hesitação?

No Kremlin, o presidente Putin deverá estar muito grato aos americanos, afinal o que a campanha eleitoral para a presidência no país está a fazer à imagem de grande potência dos americanos, nem o mais elaborado plano russo conseguiria.

O que o Presidente Putin e os russos sabem é que o poder e o prestígio não são eternos e quando o lixo interno se torna público o desaire não está muito longe. Lição que os norte americanos poderão estar prestes a descobrir .

Por quem estarão os rivais dos Estados Unidos a torcer?

Chegou-se agora à fase final, ou o que muitos designam da época do « vale tudo ». Se o ritmo da campanha continuar como nas últimas semanas animação não vai faltar, bem como troca de acusações e alguns insultos .

A situação chegou a um tal ponto que medidas concretas e debate de ideias perdem importância para a grande questão: qual dos candidatos à presidência tem menos perfil para o cargo.

O bom senso diria que se tem de perguntar, é porque o sistema eleitoral americano tem alguns problemas.

E o que estarão a dizer agora, os que achavam que pior que George w. Bush não podia acontecer?

Uma coisa tornou-se mais do que óbvia, independentemente de quem ganhe os Estados Unidos nunca mais serão os mesmos.

Afinal o lema de campanha de Donald Trump é « Fazer a América grande outra vez», o que implica que no momento já não é! E Hillary Clinton tem a questão dos email com assuntos de estado enviados de uma conta pessoal, o que levanta a questão da segurança nacional.

Será que agora ganha quem tem menos contras?

Mais partilhadas da semana

Subir