América do Sul

Cães abandonados têm uma nova oportunidade no Open de São Paulo

O Open de Ténis de São Paulo, no Brasil, teve mais animação com três novos funcionários: Dexter, Ovelha e Pretinha. Estes são três dos seis cães que foram abandonados e que arranjaram uma nova função: “trabalharam” no torneio de ténis como apanha bolas. O objetivo é mostrar as suas habilidades para conseguirem encontrar um dono.

O ‘ABC’ conta que desta forma os cães podem trocar os canis para poder correr à volta dos courts de ténis do Open de São Paulo.

Os animais “trabalharam” antes do encontro das meias-finais do torneio, onde o atleta português João Sousa defrontou o tenista espanhol Albert Ramos Viñolas, com o qual viria a perder a partida.

Mas foi durante a partida de exibição entre João Zwetsh e Marcelo Demoliner que os animais surgiram e tiveram as “luzes” da ribalta viradas para si, tornando-se assistentes do torneio.

“Quando tiver a minha própria casa e uma família quem sabe se não posso vir a adotar um animal como eles, que são os melhores amigos do homem”, disse Demoliner após o jogo, que já tinha expresso a sua vontade de adotar um cão.

PremieR Pet é a empresa responsável por esta iniciativa e contou que na edição do ano passado, todos os quatro animais que “trabalharam” no evento encontraram um lar logo após os jogos.

“O que queremos mostrar é que estes animais, independentemente da sua história de abandono e da sua idade, podem converter-se em grandes companheiros para os seus novos donos”, afirmou Lilia Rebello, do gabinete de comunicação da PremieR Pet.

Mais partilhadas da semana

Subir