Economia

Bruxelas prevê aumento do défice, da dívida, da taxa de desemprego e recessão em Portugal

Previsão da Comissão Europeia para Portugal antecipa um défice das contas públicas de 6,5 por cento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2020. Bruxelas prevê ainda que a dívida pública portuguesa atinja os 131,6 por cento do PIB, uma recessão de 6,8 pontos percentuais e uma subida da taxa de desemprego, para 9,4 pontos.

Portugal deverá apresentar um défice de 6,5 por cento, em 2020, e uma dívida pública nos 131,6 por cento do PIB, como resultado da pandemia, que estagnou a atividade económica.

Em 2021, o défice orçamental nacional deve descer para os 1,8 por cento do PIB, sendo que a dívida pública seguirá igual tendência, para os 124,4 por cento.

A Comissão Europeia prevê ainda para Portugal, em 2020, uma recessão de 6,8 pontos percentuais.

A taxa de desemprego deve subir para para os 9,7 por cento.

Todas estas previsões de Bruxelas são mais otimistas do que as apresentadas pelo Fundo Monetário Internacional.

A Comissão Europeia antecipa uma recuperação da economia de 5,8 por cento no ano de 2021, com efeitos positivos na taxa de desemprego, que deve descer para 7,4 pontos percentuais.

A economia da zona euro vai sofrer uma contração recorde de 7,7 por cento do PIB, com recuperação parcial em 2021, com um crescimento de 6,3 pontos percentuais.

Nas Previsões Económicas da Primavera divulgadas nesta quarta-feira (as primeiras com impacto da crise provocada pela pandemia), o executivo comunitário corrigiu, com uma profunda revisão em baixa, anteriores projeções de crescimento.

Antes da pandemia, Bruxelas estimava que a zona euro crescesse nove por cento. “Apesar da resposta rápida e abrangente, tanto a nível da União Europeia como nacional, a economia europeia vai experimentar uma recessão de proporções históricas, neste ano”, assinala a Comissão Europeia.

0Shares

Em destaque

Subir