Benfica

Bruno Lage diz que “ninguém perde nada à terceira jornada”

O treinador do Benfica, Bruno Lage, defendeu hoje que o ‘clássico’ de sábado para a I Liga de futebol com o FC Porto não é decisivo e que um eventual desaire não condiciona as equipas na luta pelo título.

“A única preocupação é vencermos o jogo. Ninguém perde nada à terceira jornada, o mais importante é termos consciência do trabalho que temos de fazer amanhã”, afirmou o técnico dos ‘encarnados’, sublinhando: “É um jogo em que nenhuma das equipas vai olhar para a tabela classificativa. Também não estamos pressionados para vencer? Estamos. Ambas as equipas estão pressionadas e motivadas para vencer”.

Em conferência de imprensa realizada no centro de estágio do Seixal, o treinador campeão nacional comentou o elogio do técnico do FC Porto, de Sérgio Conceição, que considerou que o Benfica tem “um dos melhores planteis” dos últimos anos.

“No ano passado tínhamos [o melhor plantel], acredito que o melhor é aquele que vence. Este ano ainda estamos a começar. Se chegarmos ao fim e vencermos, concordo com o Sérgio Conceição. Se hoje nos sentimos fortes como equipa e plantel não podemos esquecer um passado recente em que um treinador [Jorge Jesus] decidia entre Rodrigo/Lima ou Aimar/Witsel”, explicou, assumindo-se ainda assim “plenamente satisfeito” com o plantel.

Por outro lado, Bruno Lage também distribuiu elogios ao rival, desvalorizando as duas derrotas já sofridas pelos ‘dragões’ nos primeiros quatro jogos da temporada, diante de Gil Vicente (2-1) e Krasnodar (2-3).

“Temos de dar a todos os momentos boas respostas. Olhar para o FC Porto é olhar para toda a sua qualidade. Nunca analiso um jogo em função de um resultado e nem vejo os golos, analiso sim a qualidade do jogo. Como nós, têm coisas muito boas e coisas menos boas, e acredito que do outro lado também seja isso que esteja em mente. Vejo uma equipa forte, determinada, com enorme organização coletiva e valores individuais muito fortes”, observou.

Questionado sobre a produção ofensiva dos avançados Seferovic e Raúl de Tomás, o técnico preferiu valorizar o contributo dos dois jogadores para a dinâmica da equipa, independentemente de um suposto défice na marcação de golos neste arranque de época. Mas sublinhou querer “ameaças” para toda a gente no plantel.

“Tem de existir competitividade. Todos os treinadores querem isso, porque é isso que faz crescer. Coletivamente, sentimos que criamos muitas oportunidades de golo”, afirmou, finalizando: “O facto de não terem feito golo não é um problema. Quando deixarem de correr é que não têm hipótese. O mais importante é termos consciência dos homens que temos em casa e todos os avançados são importantes para equipa”.

O Benfica, líder do campeonato, com seis pontos, e o FC Porto, sexto, com três, defrontam-se a partir das 19:00 de sábado, no Estádio da Luz, em Lisboa.

Mais partilhadas da semana

Subir