Desporto

“Bruno Fernandes fez cópia mal feita da carta de Rui Patrício”, diz Pedro Proença

Pedro Proença não ficou surpreendido com a possibilidade de Bruno Fernandes continuar em Alvalade, salientando que a carta de rescisão foi “uma cópia” da de Rui Patrício, incluindo “parágrafos em que Rui Patrício fala dele próprio”.

Comentando a possibilidade do médio, que rescindiu alegando justa causa, voltar atrás e continuar a representar o Sporting, o advogado baseou-se “no ‘copy paste’ tão mal feito” da carta enviada por Rui Patrício para justificar não ter ficado surpreendido.

“Fizeram”, os jogadores que rescindiram, “uma cópia da carta de Rui Patrício em que há lá parágrafos em que Rui Patrício fala dele próprio”, insistiu.

“Não há nenhum clube lá fora que esteja disposto a arriscar ter que pagar ao Sporting uma indemnização avultada. O Bruno Fernandes vai ter que ponderar seriamente a possibilidade de regressar e fazer pelo menos mais uma época”, reforçou.

Para o comentador sportinguista, “o mais estranho” desta reviravolta no caso de Bruno Fernandes é este ser, dos nove que rescindiram, o que tem menos anos de Sporting.

“Sendo o único jogador a não ter um histórico afetivo com o Sporting, é estranho ser o primeiro a admitir regressar. Acho estranho que jogadores com uma relação quase de berço, como William e Gelson, não tomarem a mesma decisão”, continuou.

Para Pedro Proença, esta mudança de vontade do médio terá ocorrido devido ao facto de ter passado despercebido durante o Mundial’2018.

“O pior que podia acontecer ao Sporting era estes jogadores terem uma prestação brutal no Campeonato do Mundo, agora isso não aconteceu”, reforçou.

Ao admitir regressar a Alvalade, Bruno Fernandes deu “mais uma machadada na tese da justa causa”, concluiu o comentador.

Mais partilhadas da semana

Subir