Desporto

Bruno endurece discurso perante a “guerra jurídica” da “farsa eleitoral”

Bruno de Carvalho e Alexandre Godinho emitiram um comunicado, nesta segunda-feira, onde dão conta aos associados do Sporting de que vão continuar aquilo que chamam de “‘guerra’ jurídica” no sentido de travar a “farsa eleitoral”.

No comunicado, Bruno de Carvalho e Alexandre Godinho sustentam que estão “juridicamente vinculados a impugnar todos os actos que decorram ou sejam tomados na sequência das ilegalidades cometidas”.

“Sob pena de impossibilitar a nossa defesa da honra, e da condição de Sócios de pleno direito do Sporting Clube de Portugal”.

Perante isto, ambos deixam uma aviso aos sócios.

“Não abdicaremos de garantir a nossa absolvição total, em qualquer procedimento ou processo ilegal em que fomos ou sejamos visados”.

Ambos vão mais longe e sustentam que não podem tolerar algo que se traduza na ” humilhação e na degradação irreparável” da sua imagem pública.

“Não podemos abandonar a defesa da nossa honra e da nossa dignidade, nem podemos tolerar que ilegalidades se traduzam na humilhação e na degradação irreparável da nossa imagem pública, da nossa dignidade humana e da nossa qualidade profissional”, salientam.

Bruno de Carvalho já por várias vezes avisou que a luta jurídica irá continuar.

No dia das eleições leoninas, que elegeram Frederico Varandas, Bruno de Carvalho foi hospitalizado.

Eleito presidente do clube em março de 2013 e reconduzido em 2017, Bruno de Carvalho foi destituído do cargo numa reunião magna de junho, com 71,36 por cento dos votos.

Mais partilhadas da semana

Subir