Desporto

“Quero ir a eleições e que me deixem em paz”, diz Bruno de Carvalho

Bruno de Carvalho recorreu às redes sociais para disparar em várias direções, da Comissão de Gestão do Sporting a Vítor Espadinha, e sublinha que a única coisa que quer é “ir a eleições” e que o “deixem em paz”.

Um dia depois de ter reclamado a presidência do Sporting, com uma alegada providência cautelar que o reconhecia como tal, Bruno de Carvalho voltou às redes sociais para criticar várias personalidades ligadas aos leões, desde a Comissão de Gestão até Vítor Espadinha.

O ex-presidente referiu-se ao ator como o “maluquinho de serviço”, aquele que “faz greves de fome para lhe darem papéis em séries ou peças de teatro”.

Acrescenta que Moura dos Santos “pede a sua morte” e que Sousa Cintra, “a quem foi prometido exploração de poços de petróleo”, pede a sua “expulsão”.

“Torres Pereira, o escorraçado da Atlândida, o homem das corzinhas e setinhas, a quem já foram prometidos tachos e panelas, acha que esta acima da Lei”, escreveu o antigo presidente.

Bruno de Carvalho critica também Jaime Marta Soares, ao referir que o presidente da Mesa de Assembleia diz a “manda no Sporting” mas que, vai às televisões com “cara de velhinho sem abrigo, dizer que eu acho que o Sporting é meu”.

Após as críticas, o ex-dirente sublinha que a única coisa que quer “é ir a eleições” e que o deixem em paz.

“E o que eu quero: ir a eleições e que me deixem em paz! Só quero ter a chance de poder continuar a ter a honra e prazer de servir o Sporting CP 24h por dia, levando o Clube a continuar a ultrapassar todas as barreiras desportivas e financeiras da sua história. Lutar pela verdade desportiva até às últimas consequências”, pode ler-se.

Bruno de Carvalho considera ser “fácil terminar com toda esta novela”, bastando para isso deixar a sua lista ir a eleições.

“Parem com este espectáculo deprimente, com este assustar dos associado do bicho papão dos jogadores que já têm suores novamente, de estarmos falidos, de precisarmos de 122 milhões, de precisarmos de investidores”, remata.

Esta sexta-feira, recorde-se, a Comissão de Gestão explicou, em conferência de imprensa, que o que Bruno de Carvalho reclamava “era tudo mentira“.

Veja a publicação.

677Shares

Em destaque

Subir