Economia

Bolsas europeias negoceiam no vermelho ensombradas pelo coronavírus

As bolsas europeias estão hoje a negociar no vermelho, pressionadas pelo surto de coronavírus, com as suas consequências económicas a continuar a dominar a atenção dos investidores.

Pelas 09:44 horas de Lisboa, o índice Euro Stoxx 600 afundava 2,65% para 394,31 pontos, com os índices das principais praças europeias a caírem, Londres a perder 1,88%, Paris a recuar 1,89%, Frankfurt em baixa de 2,94%, Madrid a descer 2,14%, Milão a cair 1,68% e Lisboa a deslizar 1,72%.

Os analistas internacionais citados pela agência financeira Bloomberg afirmaram que os investidores estão preocupados com o alastramento do novo coronavíros e com as suas ramificações à economia, o que poderá levar ao abrandamento do crescimento da economia global.

Os mercados atravessam uma fase de turbulência e a questão que se coloca é a de saber até onde irá a correção bolsista, salientaram.

Com o surto do coronavírus, os investidores têm cada vez mais depositado os seus ativos em ouro numa tentativa de evitar exposição a ativos de risco.

O balanço provisório da epidemia do coronavírus Covid-19 é de pelo menos 2.763 mortos e cerca de 81 mil infetados, de acordo com dados reportados por mais de 40 países e territórios.

Das pessoas infetadas, quase 30 mil recuperaram.

Além dos mais de 2.700 mortos na China, onde o surto começou no final do ano passado, há registo de vítimas mortais no Irão, Coreia do Sul, Itália, Japão, Filipinas, França e Taiwan.

A Organização Mundial de Saúde declarou o surto do Covid-19 como uma emergência de saúde pública de âmbito internacional e alertou para uma eventual pandemia, após um aumento repentino de casos em Itália, Coreia do Sul e Irão nos últimos dias.

Em Portugal, já houve 17 casos suspeitos, que resultaram negativos após análises.

O único caso conhecido de um português infetado pelo novo vírus é o de um tripulante de um navio de cruzeiros que foi internado num hospital da cidade japonesa de Okazaki, situada a cerca de 300 quilómetros a sudoeste de Tóquio.

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir