Desporto

‘Bis’ de Vítor Carvalho dá empate surpresa ao Gil Vicente em Braga

Um ‘bis’ do estreante Vítor Carvalho deu hoje ao Gil Vicente um inesperado empate (2-2) em casa do Sporting de Braga, que jogou com menos quase 50 minutos, na 20.ª jornada da I Liga de futebol.

Os bracarenses estiveram a vencer por 2-0 até meio da segunda parte, graças aos golos de Ricardo Horta (12 minutos) e Esgaio (22), mas Vítor Carvalho, que saltou do banco ainda na primeira parte, empatou a partida no segundo tempo (65 e 85), interrompendo a série de oito vitórias seguidas da equipa ‘arsenalista’.

Aos 90+1, Bruno Wilson impediu com o peito, em cima da linha de baliza o golo de Lino, que consumaria a reviravolta gilista, o que seria um pesado castigo para os bracarenses.

O empate impede a equipa de Rúben Amorim de igualar o melhor registo de sempre do clube – nove vitórias consecutivas -, que pertence a Leonardo Jardim, em 2011/12.

O Gil Vicente, goleado em casa na última ronda pelo Moreirense (5-1), aproveitou a superioridade numérica desde os 41 minutos, após expulsão de Bruno Viana, e mesmo sem ter feito uma grande segunda parte, foi letal a aproveitar dois deslizes da defesa bracarense.

O Braga apresentou-se com Palhinha e Trincão nos lugares dos castigados Fransérgio e Galeno, enquanto no Gil Vicente, Vítor Oliveira quis ‘imitar’ o adversário e fez alinhar a equipa com três centrais (3x5x2), defendendo sempre com uma linha de cinco, mas se a intenção era surpreender o adversário, não resultou.

David Carmo e Ricardo Horta já tinham deixado avisos, mas o Sporting de Braga inaugurou mesmo o marcador, após um excelente trabalho de Paulinho: o avançado surgiu na cara do guarda-redes, mas perdeu ângulo e preferiu assistir Ricardo Horta, que, mesmo perante uma ‘floresta’ de pernas adversárias, rematou de primeira e fez a bola passar pelo ‘buraco da agulha’ (17.º golo da temporada).

Era o Braga que mandava no jogo e, aos 22 minutos, Trincão acelerou, Sequeira cruzou, Rúben Fernandes aliviou, mas a bola foi na direção de Esgaio, que parou no peito e rematou de primeira, fazendo um belo golo.

Pouco depois, aos 25 minutos, David Carmo quase fez o terceiro, após canto de Sequeira, e, aos 31, Vítor Oliveira teve de mexer na equipa porque Soares se lesionou, entrando Vítor Carvalho.

Um dos lances capitais da partida surgiu perto do intervalo, quando, displicentemente, Bruno Viana perdeu a bola para Sandro Lima e, com este isolado, derrubou-o.

Rui Costa expulsou o central brasileiro do Braga, mas considerou que a falta foi falta da área – na conversão do respetivo livre, Naidji obrigou Matheus a grande defesa.

Rúben Amorim refez o trio defensivo com a entrada de Bruno Wilson após o intervalo e Vítor Oliveira reforçou o ataque com Lourency e, aos 51 minutos, o Gil Vicente criou muito perigo com Sandro Lima a cabecear ao lado, após cruzamento de Henrique Gomes.

Outra lesão, agora de Naidji, esgotou as substituições do Gil Vicente logo aos 55 minutos (entrou Lino), mas a equipa gilista, apesar de ter sentido dificuldades em criar perigo com mais um jogador, reduziu a desvantagem aos 65 minutos, por Vítor Carvalho, numa recarga a defesa incompleta de Matheus, em resposta a remate de Lino.

Aos 85 minutos, o Gil Vicente chegou ao empate: Lourency passou por Sequeira, centrou atrasado e Vítor Carvalho rematou rasteiro.

Num último esforço, Esgaio e Palhinha ficaram perto do terceiro (88 e 90+5), mas o resultado manteve-se e o Braga pode perder o terceiro lugar se o Sporting vencer, em casa, o Portimonense, no domingo.

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir