Ralis

Bernardo Sousa soma e segue no Rali Vidreiro

BernardoSousax210BernardoSousaMais um rali do campeonato de Portugal da especialidade e mais uma vitória para Bernardo Sousa. O piloto madeirense parece lançado para um novo título nacional, depois de mais um triunfo, desta feita no asfalto da zona da Marinha Grande, onde se disputou o Rali Vidreiro.

Tal como nas provas anteriores, o êxito de Sousa esteve longe de ser fácil, devido em parte às inconstantes condições atmosféricas, e também pela forma como Adruzilo Lopes iniciou o rali, tirando partido da sua aposta nos pneus Pirelli para piso seco.

AdruziloLopesO piloto de Regilde parecia mesmo caminhar para um possível triunfo quando um problema numa bobine do seu Subaru Impreza STi durante a quinta classificativa o fez descer da primeira para a quarta posição.

Bernardo Sousa, que sentira alguma dificuldade no começo da prova com as escolhas de pneus, soube tirar o melhor partido do atraso de Adruzilo Lopes e também dos Pirelli que equiparam o seu Ford Fiesta S2000 para assumir de forma definitiva o comando do rali.

Mas a vantagem do piloto madeirense nunca foi muito grande, devido à curta quilometragem dos troços da região marinhense, pelo que apenas na ‘Power Stage’ Pedro Meireles acabaria por atirar a ‘toalha ao chão’, colocando-se à mercê de Ricardo Moura.

É que antes da super-especial noturna que fechava a prova do Clube Automóvel da Marinha Grande apenas 1,6 segundos separava os pilotos dos dois Skoda Fabia S2000. O açoriano acabou por arriscar mais do que o seu rival vimaranense, levando o seu carro a dar um toque num passeio, que apenas provocou danos estéticos, e dessa forma garantiu o segundo posto por uma margem quase insignificante; duas décimas de segundo (!).

Adruzilo Lopes ainda deu o tudo por tudo na ‘power stage’ e na super-especial para chegar ao pódio, mas ficaria ingloriamente também a uma escassa margem de o conseguir ao terminar a somente três décimas do terceiro posto.

Miguel Jorge Barbosa realizou uma prova consistente que lhe valeu um justo sexto lugar e segundo posto no agrupamento de Produção, com o piloto do Mitsubishi a saber lidar muito bem com as ‘armadilhas’ do começo do rali, que quase custavam uma saída de estrada definitiva ao seu grande rival, Ivo Nogueira.

O jovem piloto da Maia bem tentou discutir o segundo posto da categoria, mas não conseguiu ter a consistência de Miguel Barbosa, acabando por se resignar com a terceira posição da Produção, a mais de 25 segundos do seu adversário.

Na ‘guerra’ dos carros de duas rodas motrizes (CPR2) João Barros e o seu Renault Clio não tiveram rivais, mesmo quando a chuva e o piso escorregadio dificultaram a sua tarefa na parte inicial da prova. A diferença de mais de um minuto e 40 segundos para André Marques confirmaram isso mesmo.

Classificação final

1.º Bernardo Sousa/Hugo Magalhães (Ford Fiesta S2000) 54m24,7s

2.º Ricardo Moura/António Costa (Skoda Fabia S2000) + 11,0s

3.º Pedro Meireles/Mário Castro (Skoda Fabia S2000) + 11,2s

4.º Adruzilo Lopes/Vasco Ferreira (Subaru Impreza STi) + 11,5s

5.º Miguel J. Barbosa/Alberto Silva (Mitsubishi Lancer Evo IX) + 2m20,8s

6.º Ivo Nogueira/Nuno R. Silva (Subaru Impreza STi) + 2m40,3s

7.º João Barros/Jorge Henriques (Renault Clio S1600) + 3m04,6s

8.º André Marques/Manuel Porém (Peugeot 206 S1600) + 4m45,2s

9.º Ricardo Marques/Paulo Marques (Citroën C2 R2) + 4m48,1s

10.º Paulo Neto/Vítor Hugo (Citroën DS3T) + 5m07,3s

0Shares

Em destaque

Subir