Nas Notícias

Benfica SAD não vai a julgamento, Paulo Gonçalves responde por corrupção

A SAD do Benfica não vai a julgamento, no âmbito do processo e-Toupeira, decidiu a juíza Ana Peres, nesta sexta-feira. Paulo Gonçalves irá responder por corrupção e violação de segredo de justiça. O funcionário judicial Júlio Loureiro foi ilibado de todos os crimes.

O Tribunal Central de Instrução Criminal (TCIC), em Lisboa, decidiu hoje não levar a julgamento a SAD do Benfica, por nenhum dos 30 crimes pelos quais estava acusada, mas o antigo assessor jurídico Paulo Gonçalves será julgado por corrupção.

A decisão instrutória foi proferida na tarde de hoje pela juíza de instrução criminal Ana Peres, que não pronunciou (não levou a julgamento) a SAD encarnada por nenhum dos 30 crimes que constam da acusação do Ministério Público (MP): um de corrupção ativa, outro de oferta ou recebimento indevido de vantagem e 29 crimes de falsidade informática.

Segundo a acusação do MP, Paulo Gonçalves, enquanto assessor da administração da Benfica SAD, e no interesse da sociedade, solicitou aos funcionários judiciais Júlio Loureiro (que também não vai a julgamento) e a José Silva (que vai a julgamento, mas que sai em liberdade – estava em prisão domiciliária) que lhe transmitissem informações sobre inquéritos, a troco de bilhetes, convites e ‘merchandising’.

A decisão de Ana Peres representa uma derrota do Ministério Público que poderá, no entanto, recorrer da mesma.

573Shares

Mais partilhadas da semana

Subir