Desporto

Benfica pode voltar a ‘mandar’ em Alvalade 60 anos depois

O Benfica, invicto há sete jogos na casa do ‘leão’, pode assumir na sexta-feira a liderança do histórico dos confrontos com o Sporting em Alvalade para a I Liga de futebol seis décadas depois.

Com o categórico 4-2 da época passada, selado com golos do suíço Seferovic, João Félix, Rúben Dias e Pizzi, os ‘encarnados’ igualaram os 32 triunfos dos ‘leões’, repetindo um cenário que não se verificava desde 1955/56 (10-10).

O conjunto da Luz pode, assim, voltar a ‘mandar’ no histórico dos dérbis para o campeonato no terreno dos ‘leões’, o que não acontece desde o 8-7 de 1949/50, que ainda se manteve inalterado na temporada seguinte, após um 2-2.

Depois disso, o Sporting esteve sempre no comando, embora sem nunca conseguir mais do que cinco triunfos de vantagem, o que aconteceu em 1969/60 (17 contra 12), 1986/87 (23-18), após os incontornáveis 7-1, e 1996/97 (27-22).

Nos últimos 22 encontros, os ‘encarnados’ conseguiram, porém, recuperar esse atraso, igualando em 2018/19 o histórico, já sob o comando de Bruno Lage, que, como técnico do Benfica, ganhou todos os jogos fora no campeonato.

Os ‘encarnados’ chegaram à igualdade com o 4-2 de 03 de fevereiro de 2019, no que foi o sétimo jogo consecutivo a pontuar, numa série iniciada depois do 1-0 do Sporting na ronda 26 da temporada 2011/12.

Em 09 de abril de 2012, o holandês Ricky van Wolfswinkel decidiu o dérbi (1-0) na transformação de uma grande penalidade, apontada logo aos 18 minutos.

Depois disso, os ‘encarnados’ não mais perderam, numa série iniciada com um triunfo por 3-1. Wolfswinkel voltou a adiantar os locais, mas um autogolo do argentino Marcos Rojo e um ‘bis’ do paraguaio Óscar Cardozo (81 e 86 minutos) viraram o jogo.

Nas duas épocas seguintes, registaram-se dois empates a um golo e foi sempre o Sporting o primeiro a marcar, pelo colombiano Montero (2013/14) e o brasileiro Jefferson (2014/15), mas o Benfica respondeu, respetivamente pelo sérvio Markovic e o brasileiro Jardel, este aos 90+4.

Em 2015/16, e depois de ter levado uma ‘tareia’ em casa (0-3), o Benfica deu a resposta em Alvalade, vencendo por 1-0, com um golo do grego Mitroglou. O ‘onze’ de Rui Vitória ultrapassou o de Jorge Jesus na tabela e rumou ao título.

Nas duas épocas seguintes, registaram-se mais dois empates, o primeiro a um golo – Adrien adiantou os ‘leões’ de penálti e o sueco Lindelöf ripostou de livre direto – e o segundo a zero, para manter o Sporting no segundo lugar, que viria a ceder na Madeira. E depois perdeu muito mais.

Em 2018/19, o Benfica venceu categoricamente por 4-2 e empatou a 32 o histórico de triunfos: por instantes, com o 4-1, estendeu a igualdade aos golos, com 123 para cada lado, mas Bas Dost ainda marcou de penálti o golo 124 dos ‘leões’.

A igualdade quase total em Alvalade ‘choca’ com uma série de resultados muito desequilibrados, sendo que dois deles entraram diretamente para a lenda do futebol português, os 7-1 de 1986/87 e os 3-6 de 1993/94.

Manuel Fernandes foi o ‘herói’ do encontro de 14 de dezembro de 1986, ao conseguir um ‘póquer’ (quatro golos), enquanto João Vieira Pinto brilhou na noite chuvosa de 14 de maio de 1994, com um ‘hat-trick’ (três) na primeira parte.

Para a história entraram também o triunfo ‘encarnado’ por 1-0, em 1999/2000, e o empate 1-1 de 2001/02, que adiaram aqueles que ainda são os últimos títulos dos ‘leões’.

0Shares

Em destaque

Subir