Nas Notícias

Beethoven, Muro de Berlim e grandes viagens na temporada da Metropolitana de Lisboa

A Orquestra Metropolitana de Lisboa (OML) apresenta, para a temporada 2019-2020, uma “programação articulada em três eixos: Beethoven, o Muro de Berlim e as grandes viagens”, anunciou hoje a orquestra.

Os 250 anos do nascimento de Beethoven, os 30 anos da queda do Muro de Berlim, os 500 anos da viagem de Fernão de Magalhães e os 50 anos da chegada à Lua são “universos onde a experiência humana, histórica e intelectual se move”, lê-se no comunicado.

A orquestra vai levar, a salas de Lisboa, Setúbal e Porto, espetáculos inseridos nas temporadas Clássica, Sinfónica, Barroca, Música de Câmara, Orquestra Académica Metropolitana (OAM), para além de outros projetos.

A inauguração da temporada está marcada para o dia 29 de setembro, no Centro Cultural de Belém (CCB), em Lisboa, com a Sinfonia n.º 4 do compositor alemão Johannes Brahms e a estreia absoluta de “Zero Formula”, para guitarra elétrica e orquestra, do italiano Luca Francesconi.

Os dois compositores vão voltar a ser recordados, desta vez no Fórum Municipal Luísa Todi, em Setúbal, no dia 01 de outubro, no âmbito da celebração do Dia Mundial da Música. Na comemoração, vai poder ouvir-se, também, o Concerto para Violino de Stravinsky.

Integrados na temporada clássica, compositores como Mozart, Tchaikovsky e Joseph Haydn são evocados em espetáculos no Teatro Thalia, em Lisboa, como “Álbum de Viagem”, no dia 21 de setembro, “A Viagem de Magalhães”, no dia 05 de outubro, “A Viagem Ao Novo Mundo”, no dia 09 de novembro, e “Beethoven: 250 Anos”, no dia 09 fevereiro.

No dia 05 de outubro, o concerto “A Viagem de Magalhães”, sob direção de Pedro Amaral, com Filipe Quaresma no violoncelo, vai incluir a estreia absoluta de “Circumnavigare”, do compositor António Chagas Rosa, que “evoca a figura visionária e ventureira de Magalhães, o prazer de navegar, o motim de São Julião e a travessia terrível do maior dos oceanos”.

O Concerto Clássico de Natal, inserido na temporada clássica, vai apresentar, no dia 14 de dezembro, um concerto para clarinete e orquestra, de Mozart.

Na temporada sinfónica, o concerto “A Chegada do Homem à Lua”, no dia 17 novembro, vai juntar a Metropolitana ao maestro Adrian Leaper e ao coro sinfónico Lisboa Cantat para a interpretação do Adagio da Sinfonia n.º 10 de Mahler e de “Os Planetas”, de Gustav Holst.

O “Grande concerto Sinfónico de Carnaval”, no dia 23 de fevereiro e o Concerto de Páscoa de Réquiem de Brahms, no dia 05 de abril, são alguns do espetáculos que vão decorrer no âmbito da temporada, no CCB.

O Museu Nacional de Arte Antiga, em Lisboa, é o local escolhido para receber os concertos da temporada Barroca, como “Na Corte de Frederico O Grande”, no dia 02 de novembro, e “Bach, Michima e Philip Glass”, dia 07 de dezembro, apresentado na véspera nas Caldas da Rainha.

A Música de Câmara vai surgir em espaços diversos de Lisboa, como a Casa das Artes, a Cinemateca Portuguesa e o El Corte Inglês, onde o compositor Beethoven será destacado em concertos como “Beethoven e Lopes Graça”, no dia 29 de novembro, e “Beethoven e Vianna da Motta”, no dia 06 de dezembro.

Inseridos na temporada OAM, a Metropolitana vai apresentar concertos como “O Ano da Morte de Ravel – Prémio Fundação Inatel”, no dia 20 de outubro, no Cineteatro da Academia Almadense, “Philip Glass: A Luz”, no dia 13 de dezembro e “Les Barricades Mystérieuses”, no dia 21 de março.

Os Concertos de Ano Novo da Metropolitana, de 01 a 04 de janeiro, convidam “a vaguear pela brisa espirituosa das polcas e valsas da família Strauss”, no CCB, no auditório Augusto Cabrita, no Barreiro, e no Coliseu do Porto.

Este ano, na sua 7.ª edição, o Atelier de Ópera da Metropolitana vai regressar nos dias 31 de janeiro, 02 e 07 de fevereiro, ao CCB e ao Luísa Todi, em Setúbal.

Neste fórum municipal, durante o mês de maio, a orquestra vai apresentar o espetáculo “Integral dos Concertos para Piano de Beethoven”, com o pianista António Rosado, com passagem também pelo São Luiz Teatro Municipal, em Lisboa.

Ao longo de toda a temporada, a Orquestra Juvenil Metropolitana relata contos como “A Volta ao Mundo!”, “A Menina do Mar”, “A Chegada do Homem à Lua”, entre outros, no projeto “Histórias da Formiga Rabiga”, com narrações por Susana Henriques.

A programação da temporada encerra a 21 de junho, no CCB, com o Concerto de Aniversário da Metropolitana, num espetáculo com composições de Strauss, Mahler e Berio.

O programa completo pode ser consultado na página oficial da Orquestra Metropolitana de Lisboa.

Mais partilhadas da semana

Subir