Ásia

Beber chá pode diminuir risco de Alzheimer

Um estudo de investigadores chineses associa o consumo regular de chá verde ou chá preto a um melhor funcionamento da memória e a uma redução do risco de Alzheimer, em idosos com maior risco genético de padecer da doença.

Uma equipa de investigadores do departamento de Psicologia da Yong Loo Lin School of Medicine, da Universidade de Singapura, realizou um estudo que associa o consumo de chá (preto e verde) a um menor risco de Alzheimer.

Essa redução do risco foi quantificada. Quem têm o hábito de consumir aquela bebida apresenta menos 50 por cento de probabilidade de sofrer de problemas cognitivos, em comparação com o grupo de pessoas que não costumam tomar chá.

Esta não é a primeira pesquisa que associa esta bebida a menores riscos de sofrer doenças. O elevado nível de antioxidantes do chá revelou-se positivo, no combate a problemas de saúde como cancro, diabetes, ou doenças do foro cardiovascular.

Partindo de estudos anteriores, que já faziam esta associação entre benefícios da memória e beber chá, os investigadores detetaram maior capacidade cognitiva em pessoas que tinham o hábito de consumir bebidas feitas a partir daquela infusão.

Em causa pode estar a presença de substâncias como as teoflavinas, as catequinas, os teorubígenos e a L-teanina. “Estes compostos apresentam um potencial anti-inflamatório e antioxidante, bem como outras propriedades bioativas que podem proteger o cérebro de danos vasculares e da neurodegeneração“, salienta Feng Lei, coordenador do estudo, em declarações ao Medical News Today.

Para a realização desta pesquisa, publicada no The Journal of Nutrition, Health & Aging, foram analisados dados de 957 chineses, com idade mínima de 55 anos.

Os investigadores analisaram os hábitos de todos os participantes, em particular a quantidade de chá que consumiam. De dois em dois anos, desde 2002 até 2010, as funções cognitivas dos participantes foram alvo de uma análise detalhada.

Os riscos de demência e de Alzheimer caíram para metade, no grupo de pessoas que bebia chá com frequência.

“Um hábito simples e barato, como beber chá todos os dias, pode ajudar uma pessoa a proteger-se de eventuais distúrbios neurocognitivos na terceira idade”, conclui Feng Lei.

6Shares

Mais partilhadas da semana

Subir