Economia

BE diz que ir até 2000 na nova comissão de inquérito à CGD é essencial

A coordenadora do BE, Catarina Martins, adiantou hoje que o texto comum que está a ser trabalhado para uma nova comissão de inquérito à Caixa Geral de Depósitos (CGD) permitirá a investigação das operações do banco desde 2000.

“O BE empenhou-se, mal as condições estavam reunidas, num texto comum de todos os partidos, parece-nos que é a melhor forma para uma nova comissão de inquérito à CGD. Esse texto comum, que está a ser trabalhado, pela parte do Bloco de Esquerda achamos que o texto está bem, está encerrado. Por nós entra assim agora mesmo de manhã”, disse aos jornalistas Catarina Martins, no final de uma viagem de barco entre Cacilhas e Lisboa.

Segundo a coordenadora do BE, “é um texto que permite a investigação das operações da Caixa desde o ano 2000”, abrangendo “vários Governos” e “as decisões da Caixa que tiveram impacto na área financeira da Caixa, mas também nas operações em que a Caixa se cruzou com o BPN, com o BCP”.

“Ir até ao ano 2000 é para nós essencial para se perceber a história da crise financeira e da forma como milhares de milhões de euros desapareceram no nosso país”, insistiu.

O CDS-PP está a recolher “contributos de vários grupos parlamentares” para tentar “um entendimento e texto” comum para a proposta de inquérito parlamentar à recapitalização da Caixa Geral de Depósitos (CGD), disse à Lusa fonte centrista quarta-feira.

Mais partilhadas da semana

Subir