Nas Notícias

Bastonária diz que há enfermeiros com “óculos de natação” e “máscaras de mergulho”

Bastonária da Ordem dos Enfermeiros denuncia alegada falta de materiais de proteção, nos hospitais. Ana Rita Cavaco refere à Rádio Renascença que há profissionais de saúde que se protegem com “óculos de natação e máscaras de mergulho”, com receio de infeção e para proteger pacientes.

A bastonária da Ordem dos Enfermeiros garante que há vários profissionais de saúde que estão a criar ferramentas de proteção alternativas, em virtude de uma alegada falta material hospitalar.

“Há quem leve óculos de natação, máscaras de mergulho, luvas, batas”, diz Ana Rita Cavaco, citada pela ‘Renascença’, admitindo que “há enfermeiros infetados e também em quarentena”.

Ana Rita Cavaco assegura ainda que não pretende divulgar números “para evitar alarme social”.

Mas apela a António Costa para que dê indicações para que se “faça uso da reserva estratégica de máscaras anunciada pelo primeiro-ministro”.

Refira-se que o Serviço Nacional de Saúde foi reforçado com mais 1800 médicos e 900 enfermeiros para fazer face à evolução da pandemia, disse o secretário de Estado da Saúde, António Sales, em conferência de imprensa.

“Neste momento temos mais de 1.800 médicos disponíveis para reforçar o Serviço Nacional de Saúde na resposta à epidemia, mais de 1.000 enfermeiros, entre outros profissionais de saúde, todos eles indispensáveis neste combate”, disse o secretário de Estado.

O número de infetados pelo novo coronavírus subiu para 448, mais 117 do que os contabilizados na segunda-feira, anunciou hoje a Direção-Geral da Saúde (DGS).

De acordo com o boletim sobre a situação epidemiológica em Portugal, divulgado hoje às 12:00, há 4.030 casos suspeitos (mais 1122), dos quais 323 (eram 374) aguardam resultado laboratorial.

Segundo a DGS, há três casos recuperados.

 

Em destaque

Subir