Nas Notícias

Aumento de tráfego resulta no atropelamento de animais selvagens na Reserva Especial de Maputo

O aumento do tráfego rodoviário no distrito turístico de Matutuíne, sul de Moçambique, com a entrada em funcionamento da ponte Maputo-Katembe, tem resultado no atropelamento de animais da Reserva Especial de Maputo (REM), indicou a instituição.

“Infelizmente, estamos a ter problemas com alguns automobilistas, que não respeitam o limite de velocidade dentro da Reserva Especial de Maputo, o que resulta no atropelamento de animais”, disse o administrador da REM, Miguel Gonçalves, em declarações ao diário Notícias.

Pelo menos duas impalas, dois changos, uma zebra, uma jibóia, lebres e cágados foram mortalmente atropeladas, depois da inauguração da ponte Maputo-Katembe, a 10 de novembro do ano passado.

“Uma girafa, animal de grande porte e com características invulgares, foi igualmente atropelada, mas foi socorrida e sobreviveu graças à rápida intervenção veterinária”, disse o administrador da REM.

Além da ameaça física aos animais, o aumento do fluxo de turistas com a entrada em funcionamento da ponte Maputo-Katembe também agravou os riscos de poluição da REM.

“Aumentou o número de visitantes que, infelizmente, deitam garrafas, latas, plásticos, entre outros objetos na praia e na reserva e, quando a maré baixa, o lixo vai para o mar, com todo o impacto negativo dai resultante”, acrescentou Miguel Gonçalves.

A ponte Maputo-Katembe assegura o atravessamento da baia da capital moçambicana, dando acesso rodoviário à REM, um santuário de vida selvagem e marinha na fronteira com a África do Sul.

Mais partilhadas da semana

Subir