Internacional

Atriz egípcia arrisca cinco anos de prisão por usar vestido transparente

A atriz egípcia Rania Youssef foi acusada de “incitar a libertinagem” pelo vestido que usou na passada quinta-feira, no Festival Cinema do Cairo. Youssef desfilou com um vestido preto transparente, deixando as pernas à mostra.

A indumentária da atriz não agradou a dois advogados egípcios, Amro Abdelsalam e Samir Sabri, conhecidos por levar celebridades a tribunal, que apresentaram uma ação judicial a acusar Youssef de “incitar a libertinagem”.

“A forma de se apresentar de Raina Youssef é contrária às tradições, aos valores da sociedade e dos seus costumes, e isso afetou o festival e a imagem da mulher egípcia”, declarou Sabri à AFP.

A atriz recorreu às redes sociais para pedir desculpa pela escolha.

“Foi a primeira vez que usei o vestido e nunca pensei que fosse causar tanta raiva”, lamentou.

Esta não é a primeira vez que um caso do género acontece no Egito. Em 2017, a cantora Shaimaa Ahmed foi condenada a dois anos de prisão (depois reduzidos a um), por ter usado roupa interior num vídeo enquanto comia uma banana.

Veja o vestido de Youssef.

Mais partilhadas da semana

Subir