Mundo

Ataque em Nairobi faz 14 mortos e terroristas foram abatidos

“Posso confirmar que a operação de segurança no (complexo) Dusit foi concluída há cerca de uma hora e que todos os terroristas foram eliminados”, disse Kenyatta numa conferência de imprensa.

O Presidente queniano explicou que “14 vidas inocentes foram perdidas” e que mais de 700 pessoas tinham sido retiradas do resort nas “primeiras horas” do ataque, que durou mais de 20 horas.

O ataque foi reivindicado pelo grupo extremista somali al-Shabab, que disse ter matado 47 pessoas, sem dar pormenores, numa nota divulgada pela sua agência noticiosa Shahada.

Informações anteriores divulgadas pela agência norte-americana Associated Press indicavam que uma fonte da polícia havia informado que 15 corpos tinham sido transportados para a morgue.

Imagens de câmaras de vigilância mostraram pelo menos quatro atacantes.

O complexo DusitD2 inclui, além do hotel, bares, restaurantes, escritórios e bancos, localizando-se num bairro onde vivem muitos norte-americanos, europeus e indianos.

O assalto coordenado começou com uma explosão que atingiu três veículos junto a um banco e um bombista suicida que se fez explodir no átrio do hotel ferindo gravemente várias pessoas, disse o chefe da polícia do Quénia, Joseph Boinnet.

O ataque tem semelhanças com o que foi realizado em 2013 pelo al-Shabab ao centro comercial Westgate, localizado na mesma zona, que deu origem a um cerco de três dias e que provocou a morte de 67 pessoas.

Desde 2011 que o grupo ligado à Al-Qaida ameaça retaliar depois de o Quénia enviar tropas para a Somália.

Mais partilhadas da semana

Subir