Motores

Armindo Araújo começa época a ganhar no Rali Serras de Fafe e Felgueiras

Armindo Araújo e Luís Ramalho venceram hoje o Rali Serras de Fafe Felgueiras, primeira prova do Campeonato de Portugal de Ralis.

Largando para o segundo dia do evento da Demoporto com pouco mais de cinco segundos de vantagem sobre o russo Nikolay Gryazin, o piloto de Santo Tirso sabia que não tinha a vida facilitada este sábado. E de facto o seu adversário vindo de leste atacou a liderança e chegou mesmo a conquistá-la, depois de ter conseguido melhor performance dos pneus mais tenros da Michelin.

Fotos: Ricardo Cachadinha

Gryazin impôs-se na primeira passagem pelo troço de Santa Quitéria e depois fez o mesmo em Montim 2. Ficava com mais de seis segundos de vantagem sobre o piloto de Santo Tirso e conseguiu mesmo aumentar essa vantagem para mais de uma dezena de segundos na segunda passagem por Seixoso e Santa Quitéria.

Dois novos triunfos do russo do Hyundai por Lameirinha 1 e Luílhas/Guilhofrei proporcionou-lhe uma margem superior a 22 segundos para Armindo Araújo. O rali parecia decidido a favor do piloto do Hyundai i20 R5. Parecia, mas não foi, pois Nikolay Gryazin e isso abriu caminho para a vitória do piloto do Skoda Fabia R5 da The Racing Factory.

A prova que contou com as exibições do Campeão do Mundo Ott Tanak e de Dani Sordo extra classificação, fazendo quilómetros com os Hyundai i20 Coupé WRC, mas foi também marcada pelo duelo épico pelo pódio entre Bruno Magalhães e Ricardo Teodósio.

O algarvio sentiu dificuldades de concentração e afinação do seu Skoda Fabia R5 Evo no começo do dia, mas depois, na secção da tarde, foi melhorando e conseguiu dar luta ao piloto da Hyundai Portugal, que só garantiu a segunda posição final na derradeira classificativa do rali, e por apenas 4,5s.

Esta competitividade entre os homens da frente não foi replicada entre os que vinham a seguir, nomeadamente José Pedro Fontes, que no Citroën C3 R5 da Sports & You teve de se contentar com um distante quarto lugar. O piloto do Porto queixava-se que não conseguia andar depressa.

Mas pelo menos Fontes concluiu a prova, algo que Diogo Gago não fez devido a um episódio insólito. O capô do seu C3 R5 ficou mal fechado, abriu-se e partiu o pára-brisas, cujos estilhaços atingiram um olho do algarvio, que teve de ser assistido e não pôde prosseguir em prova.

Assim coube ao chileno Pedro Heller completar o top cinco, no único Volkswagen Polo GTi R5 a concluir a prova, onde Daniel Nunes se impôs no Challenge R2 e Adruzilo Lopes foi o vencedor da categoria RC2N.

Classificação final
1º Armindo Araújo/Luís Ramalho (Skoda) 1h36m43,7s
2º Bruno Magalhães/Carlos Magalhães (Hyundai) + 1m06s
3º Ricardo Teodósio/José Teixeira (Skoda) + 1m30,5s
4º José Pedro Fontes/Inês Ponte (Citroën) + 3m22,0s
5º Pedro Heller/Marc Marti (Volkswagen) + 4m17,5s
6º Miguel Correia/Pedro Alves (Skoda) + 5m58,2s
7º Manuel Castro/Ricardo Cunha (Skoda) + 6m07,7s
8º José Pelaez/Rodolfo Barrio (Skoda) + 7m50,1s
9º Javier Pardo/Adrian Peres (Suzuki) + 8m05,5s
10º António Dias/Nuno Carvalhosa (Skoda) + 9m44,1s

0Shares

Em destaque

Subir