Nas Notícias

Apresentações periódicas para suspeito de explodir o próprio carro com botija de gás

O homem acusado de explodir o próprio carro foi sujeito a um interrogatório no Tribunal Judicial de Leiria e conheceu as medidas de coação: apresentações periódicas nas autoridades locais. O crime ocorreu na Marinha Grande, e deveu-se ao facto de o suspeito, segundo a Polícia Judiciária, ter ficado revoltado com a “apreensão judicial do seu veículo”.

O Tribunal Judicial de Leiria determinou que o suspeito se apresente às autoridades locais, depois de ter sido detido pela Polícia Judiciária, por ter colocado uma botija de gás no próprio carro.

O homem, de 36 anos, provocou danos no veículo e na zona envolvente. Acabou detido pelo departamento de Investigação Criminal de Leiria, ao final da tarde de ontem e vai responder pelo crime de explosão e incêndio.

O crime ocorreu na Marinha Grande e deve-se, segundo a Polícia Judiciária, ao facto de o suspeito não ter acatado a “apreensão judicial do seu veículo, ateando-lhe fogo”. O detido decidiu colocar uma botija de gás no carro e provocar a explosão, conseguindo, desta forma “provocar maior destruição”.

Além dos “danos avultados” no veículo colocou em perigo “toda a zona envolvente”, segundo um comunicado da Polícia Judiciária, que foi divulgado nesta terça-feira (9 de agosto). O crime ocorreu no passado sábado.

Em destaque

Subir