Mundo

Antigo piloto da Ryanair arrasa empresa em carta viral

A Ryanair tem estado no foco mediático, nos últimos tempos, por causa de reformulações que tem implementado na sua estrutura mas não só. Alguns funcionários da companhia irlandesa já se queixaram por causa de “pressões” [ver aqui] que a companhia de baixo custo tenta implementar tendo em vista vendas para lucrar nas viagens. Joe Thornewill, antigo piloto da Ryanair, escreveu uma carta aberta à empresa, acusando-a de ter sido tomada pela “ganância”. A carta tem tido eco nas redes sociais.

“No início deste verão deixei o emprego que tinha desde os 18 anos. A Ryanair deu-me oportunidades incríveis, ofereceu-me um ótimo salário e tive alguns dos melhores momentos de sempre (era um dos sortudos por trabalhar numa pequena base com uma grande equipa)”, começou por dizer, para depois deixar lamentos.

“Infelizmente, nos últimos anos, a ganância assumiu-se na Ryanair, os contratos foram alterados com muitos novos funcionários agora em contratos de zero horas. A companhia aérea e os gestores querem cada vez mais [dos funcionários] diariamente, empurrando a tripulação para vender as ‘raspadinhas da caridade’ e vender refrescos”.

Joe Thornewill confessa depois os métodos usados pela empresa para que os seus funcionários vendam. “Se não conseguires vendas altas, ouves coisas do tipo ‘não fizeste um discurso suficientemente bom'”.

“Nos últimos meses, vi um grande número de pessoas incríveis sair porque estão doentes e cansados de trabalhar assim. Infelizmente, a empresa já perdeu alguns dos mais leais profissionais para outras empresas que sabem como tratar o pessoal”.

A empresa Ryanair “tem táticas para tentar calar toda a gente, não reconhecer nenhum sindicato e recusar falar com o seu povo”.

Nesta carta aberta, este antigo piloto da companhia aérea avisa que as notícias de voos cancelas, como tem acontecido nas últimas semanas, tenderá a ser frequente.

“O grupo arrogante de gestores só quer trabalhar contra o seu pessoal”

“Vocês vão ver cada vez mais notícias na imprensa sobre voos cancelados, que a Ryanair vai dizendo que são devido a feriados, etc… Há alguma verdade nisso, como o sistema de férias mudou, mas na realidade o principal motivo dos voos cancelas é por causa de não terem pessoal. Estão a deixar a empresa na primeira oportunidade”.

A finalizar, deixa números da realidade da Ryanair: “700 pilotos no último ano e milhares de tripulantes de cabina [deixaram a empresa]. A Ryanair tem pessoas incríveis a trabalhar para eles que só querem ser reconhecidos. Querem ter direitos justos e trabalhar em contratos adequados. Em vez disso, o grupo arrogante de gestores só quer trabalhar contra o seu pessoal. Espero que em breve todos os meus antigos colegas, os pilotos, a tripulação de cabine e todos os que trabalham para a Ryanair fiquem de pé e tenham o que merecem”.

Mais partilhadas da semana

Subir