Motociclismo

Andrea Iannone diz que a Aprilia não é tão má como parece

A mudança de Andrea Iannone da Suzuki para a Aprilia, que vai representar no MotoGP em 2019, está a correr melhor do que o próprio pensava.

O piloto italiano estreou-se pela marca transalpina nos testes em Valência e considerou que a RS GP é uma moto menos má do que o esperado, apesar de ter sofrido duas quedas. Depois em Jerez de La Fronteira Iannone voltou a cair, limitando a quantidade de quilómetros no seu último ensaio de 2018.

Aleix Espargaro também deveria ter participado neste trabalho de pré-época, mas acabou por estar ausente devido a doença. Por isso o ‘feedback’ de Iannone à Aprilia ganha importância e vai permitir à marca concentrar-se em áreas onde tem de evoluir a moto.

“Penso que a Aprilia tem uma boa base de trabalho mas há várias coisas a melhorar, tanto em termos de eletrónica como noutras áreas, que são básicas. Claramente que eles não têm indicações sobre certas coisas e agora estou a fornecer-lhes isso. Isso deixa-me otimista”, afirma o piloto italiano.

Andrea Iannone garante que a RSGP não é uma mota má: “Não é uma mota com grandes problemas, porque anda muito bem e é muito ágil. Temos de melhorar a aceleração e controlar melhor a derrapagem das rodas. Mas essas são coisas que não me preocupam. O motor é muito bom, mas apenas o conseguimos usar nas quinta e sexta velocidades, porque até à quarta lutamos com a patinagem das rodas. É um aspeto importante, mas no início eles não percebiam isso e agora têm de trabalhar no problema”.

Mais partilhadas da semana

Subir