Motociclismo

Para Andrea Dovizioso está fora de questão voltar à Ducati de 2017

Regressar à Ducati Desmosecidi GP17 nunca esteve ‘em cima da mesa’ para Andrea Dovizioso, depois o seu companheiro de equipa, Jorge Lorenzo, a ter voltado a usar aquela moto nos testes de Buriram.

Dovizioso terminou a segunda ‘bateria’ de ensaios de pré-temporada do MotoGP com o sétimo tempo, apenas a quatro décimas do mais rápido, Dani Pedrosa. Isso, por si só, não seria motivo para esquecer a moto da época passada, mas o italiano descarta essa hipótese: “Não há uma grande diferença (entre a antiga e a nova Ducati), mas na Malásia fiicou claro. Não há razão nenhuma para as voltar a comparar”.

O piloto italiano sublinhou que se sente mais contente com o chassis revisto que a equipa levou à Tailândia, tendo percebido o seu potencial depois de o ter experimentado no sábado: “Na maior parte das vezes quando se experimenta algo não se tem a sensação imediata da diferença, e é preciso testar dia-a-dia em diferentes pistas para realmente se confirmar o que se vai decidir para o campeonato. Desta vez percebemos um pouco melhor o que tínhamos e senti-me bem com a moto. Mas teremos de esperar pelo Qatar. Estas duas pistas (Sepang e Buriram) não são as melhores para se tomar uma decisão”.

“À parte disto, sinto-me bem, sinto-me rápido. Se sou melhor do que os meus adversários, em que posição estou, não sei, mas não me preocupo muito com isso neste momento, porque não faz sentido. Vejo que Marc (Marquez) está em melhor forte do que no começo do próximo ano. Vejo Dani (Pedrosa) em boa forma. Vejo (Johan) Zarco com um pouco mais de experiência e por isso um pouco melhor para o campeonato do que no próximo ano”, referiu ainda Andrea Dovizioso.

Mais partilhadas da semana

Subir