Nas Notícias

André Ventura pede “prisão perpétua” para casos de grande corrupção como o BES

Deputado do Chega considera que a acusação relativa ao processo do BES “peca por tardia”. André Ventura entende também que este “é um dos casos em que a prisão perpétua faria sentido”.

“O regime está a dar os últimos suspiros. Prisão perpétua para a grande corrupção, para limpar Portugal”, defende André Ventura, nas redes sociais, numa reação ao caso que envolve o Banco Espírito Santo.

Para o deputado do Chega, “muitos milhões desviados que ficaram por descobrir e desvendar nos vários anos do império”, diz, citado pela agência Lusa.

André Ventura destaca ainda o “grave prejuízo” que os crimes alegadamente praticados naquela instituição bancária representam para o erário público, com as injeções de capital que se sucederam.

Recorde-se que o Ministério Público acusou, nesta terça-feira, 18 pessoas e sete empresas por vários crimes económico-financeiros e algumas das quais por associação criminosa, no processo BES/Universo Espírito Santo, em que a figura central é o ex-banqueiro Ricardo Salgado.

O ex-presidente do BES foi acusado de 65 crimes, incluindo associação criminosa, corrupção ativa no setor privado, burla qualificada, branqueamento de capitais e fraude fiscal, no processo BES/GES.

Além de Ricardo Salgado são também arguidos neste processo Amílcar Morais Pires e Isabel Almeida, antigos administradores do BES, entre outros.

Salgado já garantiu que não cometeu qualquer crime. José Maria Ricciardi, arrolado como testemunha pelo Ministério Público, já comentou o caso, numa entrevista ao Dinheiro Vivo.

0Shares

Em destaque

Subir