Motores

Álvaro Parente limita perdas no Utah

Álvaro Parente já esperava dificuldades no Circuito do Utah, onde este fim de semana se disputou mais uma jornada dupla do Pirelli World Challenge, na vertente SprintX, onde voltou a dividir a condução do McLaren 650S nº 9 da K-PAX Racing com o inglês Ben Barnicoat.

E se na corrida de sábado não foi possível ir além da sexta posição, um reacerto ao McLaren permitiu ao piloto português e ao seu companheiro de equipa terminar ‘às portas’ do pódio.

Na qualificação jogou-se muito da sorte de Parente e Barnicoat, que garantiram apenas o nono lugar na grelha de partida, ainda que a menos de um segundo da marca da ‘pole-position’. Isso fez com que ao piloto do Porto não restasse outra solução senão dar o máximo na corrida de sábado.Parente chegou ao sexto lugar, posição em que devolveu o McLaren amarelo ao seu companheiro de equipa, que já não conseguiu progredir mais na classificação.

“Tinha que arriscar no início para ganhar posições, e foi o que fiz. Correu bem, apesar de alguns toques e consegui ganhar três lugares. Depois demos o máximo, mas era difícil ir além do sexto posto. Foi o resultado possível”, afirmava Parente no final da prova.

No domingo, a prova não começou bem para Barnicoat, que fez o primeiro turno de condução e perdeu dois lugares. Mesmo assim lutou e recuperou terreno, entregando o McLaren a Parente no 10º posto. Fruto de uma estratégia acertada, que passou por uma paragem nas boxes rápida e no momento certo, quando terminou a fase da troca de pilotos, o piloto português era já sexto.

Álvaro Parente aproveitou depois duas situações de ‘Safety-Car’ para ganhar lugares, e no primeiro reínicio conseguiu ganhar uma posição, voltando a subir um lugar no segundo, sempre com manobras oportunistas e decisivas que lhe permitiram terminar a corrida de sessenta minutos no quarto posto a pressionar o terceiro classificado.

“O fim-de-semana não começou da melhor forma para nós, com as algumas dificuldades com o circuito. Mas para a segunda corrida conseguimos adaptar melhor o carro e estivemos mais competitivos. O Ben esteve bem no seu turno e eu pude atacar os pilotos que estavam à minha frente graças às situações de ‘safety-Car”, referiu Parente em jeito de balanço.

“Fiquei muito satisfeito com as decisões tomadas nas ultrapassagens, o que nos levou a um bom resultado, sobretudo se tivermos em conta o lugar que ocupámos na grelha de partida”, referiu ainda o piloto português da McLaren GT, que antes da próxima prova do Pirelli World Challenge, participa na ronda de Hungaroring da Blancpain Sprint Cup.

Mais partilhadas da semana

Subir