Local

Altice Portugal “já repôs cerca de 50 por cento das comunicações” nas zonas afetadas pelo mau tempo

A Altice Portugal anunciou hoje que “já repôs cerca de 50 por cento das comunicações” nas zonas afetadas pela tempestade tropical Leslie, mas cerca de 39 mil clientes ainda continuam sem serviço.

“Logo nas primeiras 24 horas, a Altice Portugal conseguiu recuperar cerca de 150 ‘sites’ móveis, o que permitiu repor as comunicações móveis em muitos dos locais afetados”, adianta a operadora liderada por Alexandre Fonseca, em comunicado.

“Já em relação aos clientes da rede fixa com serviços afetados são, atualmente, cerca de 39 mil, envolvendo comunicações de voz, internet e TV, dependendo estes de um trabalho de reconstrução de rede de fibra e cobre que está em curso e que tem avançado ao ritmo possível de acordo com as variáveis meteorológicas e de acessibilidade”, refere a dona da Meo.

“Nas primeiras horas depois da tempestade, o levantamento efetuado pela Altice Portugal permitiu a identificação de mais de 70 mil clientes de serviço fixo afetados, ou seja, até ao momento foram repostos praticamente 50 por cento dos serviços em cerca de sete concelhos, mais de uma centena de freguesias”, acrescenta a operadora de telecomunicações.

A Altice Portugal adianta que uma das “principais preocupações” foi “instalar e disponibilizar equipamentos redundantes (VSAT) [telefone por satélite] que permitissem a comunicação por parte das instituições críticas. Situação esta que perdura e que foi alargada no território durante o dia de hoje”, explicou.

A operadora de telecomunicações tem no terreno o mesmo número de operacionais, “que ascende a meio milhar”, desde a prevenção da tempestade, e que estão a atuar em várias frentes para que “a reposição integral das telecomunicações possa acontecer o mais rapidamente possível, apesar das dificuldades meteorológicas, de acessibilidade no terreno, bem como a especificidade técnica necessária na substituição de equipamentos numa operação desta índole”.

Coimbra, Aveiro, Leiria e Viseu são as zonas mais afetadas, recorda a Altice Portugal, apontando que “as falhas na distribuição de energia, assim como a danificação de infraestruturas, cabos e traçados, continuam a dificultar a reposição dos serviços”.

“No sentido de garantir as comunicações às instituições críticas, a Altice Portugal mantém o seu gabinete de crise em permanente articulação e contacto com todas as autoridades e entidades chave no processo de retoma da normalidade das comunicações nas zonas afetadas, estando presente em todas as reuniões ‘briefing’ de comando na Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), com o operador de distribuição de energia, no sentido de priorizar e monitorizar a sua reposição, bem como com os municípios, freguesias, bombeiros, IPMA [Instituto Português do Mar e da Atmosfera] e demais autoridades que se encontram no teatro de operações”, concluiu.

A passagem do furacão Leslie por Portugal, no sábado e domingo, onde chegou como tempestade tropical, provocou 28 feridos ligeiros e 61 desalojados.

A Proteção Civil mobilizou 8.217 operacionais, que tiverem de responder a 2.495 ocorrências, sobretudo queda de árvores e de estruturas e deslizamento de terras.

O distrito mais afetado pelo Leslie foi o de Coimbra, onde a tempestade, com um “percurso muito errático”, se fez sentir com maior intensidade, segundo a ANPC.

Na Figueira da Foz, uma rajada de vento atingiu os cerca de 176 quilómetros por hora no sábado à noite, valor mais elevado registado em Portugal, de acordo com o IPMA.

Já a EDP Distribuição declarou no domingo o Estado de Emergência para o distrito de Coimbra, o mais grave previsto no seu plano de atuação, e admitiu recorrer a meios internacionais para reparar os danos causados pela tempestade tropical Leslie.

Mais de 70 mil clientes estavam sem energia elétrica hoje ao final da manhã.

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir