Velocidade

Albuquerque vence categoria GT nas 24 Horas de Daytona

Na fase noturna o ritmo consistente da equipa permitiu-lhe rodar no top quatro, mas com o Corvette nº 9 a mostrar-se impotente para acompanhar os Riley, sobretudo os carros da Ganassi Racing.

Barbosa3x510A pouco mais de uma hora do final, quando João Barbosa voltou para os comandos do melhor dos Corvette DP da Action Express, a luta passou a ser mesmo pela vitória, face à proximidade aos Riley de AJ Allmendinger e Juan Pablo Montoya, que seguiam na frente da prova.

É então que se dá a situação que sentenciou o quarto lugar do piloto do Porto, quando, após uma situação de neutralização da corrida, Barbosa ultrapassou Max Angelleli e AJ Allmendinger no reatamento.

O americano tentou recuperar o segundo posto na primeira curva, João tapou a trajetória e o Riley Ford da Michael Shank Racing foi à berma da pista. Algo de que também o português fora vítima na época passada, mas sem que a sanção fosse a mesma.

Só que a organização da Grand-Am teve outro entendimento e penalizou João Barbosa com um ‘stop & go’, atirando-o para o quarto posto e para fora do pódio, encabeçado por Juan Pablo Montoya, Scott Pruett, Memo Rojas, Scott Dixon e Charlie Kimball, que assim deram mais um triunfo à Ganassi nesta mítica prova da resistência mundial.

Êxito merecido para Albuquerque

Albuquerque5x510Filipe Albuquerque – que partilhou o Audi R8 # 24 da Alex Job Racing com Edoardo Mortara, Oliver Jarvis e Dion Von Moltke – realizou uma prova a todos os títulos notável. O piloto de Coimbra esteve aos comandos do carro alemão no começo e o final da corrida, com mais uns turnos de condução pelo caminho, sendo obrigado a uma grande recuperação, depois de alguns problemas no Audi branco e uma penalização.

Mas a vitória de Albuquerque na categoria GT só chegou mais perto do final, quando, mercê de uma boa gestão de combustível e de uma excelente estratégia, que lhe permitiu manter-se na frente da classe, mesmo quando parou nas boxes para um rápido reabastecimento.

”Achei que era complicado recuperar toda a distância para o líder, mas não nos demos por vencidos. Quando peguei no carro para o último turno dei tudo o que tinha e não tinha. A última volta foi muito dura. Estou muito orgulhoso pelo meu trabalho, dos meus companheiros e de toda a equipa, que foi excecional em todos os momentos”, comentou Albuquerque após o final da corrida.

Rui Águas também chegou a estar em posição de destaque nos GT, sobretudo na fase noturna, mas a verdade é que a consistência da sua equipa – formada também pelo piloto da NASCAR Clint Bowyer e por Michael Waltrip – não permitiu ser melhor do que sétimo classificado na classe.

Quanto a Pedro Lamy, que era o melhor colocado dos quatro portugueses à partida para esta prova, acabou por ser vítima de problemas mecânicos logo no início da corrida, quando Stéphane Sarrazin estava ainda aos comandos do Corvette DP nº 3 da Star8 Motorsports.

As mais de 40 voltas perdidas nas boxes hipotecaram desde logo qualquer possibilidade de um bom resultado, pelo que Lamy, Sarrazin, Nicolas Minassian e Enzo Potolicchio se limitaram a levar o carro laranja até ao fim o melhor colocado que lhes fosse possível.

Classificação

1.º Pruett/Rojas/Montoya/Kimball/Dixon (Riley BMW) 709 voltas

2.º Angelleli/Hunter-Reay/J.Taylor (Corvette DP)

3.º Allmendinger/Ambrose/Negri/Pew/Wilson (Riley Ford)

4.º Barbosa/Rockenfeller/Fittipaldi/Burt Friselle (Corvette DP) + 1 volta

5.º Garcia/Gavin/R. Taylor/Westbrook (Corvette DP) + 4 voltas

6.º Bourdais/McNish/Dalziel/Popow (Riley Ford) + 5 voltas

7.º Fogarty/Gurney/Gidley/Law (Corvette DP) + 6 voltas

8.º Piquet Jr/Nasr/Brian Frisselle (Corvette DP) + 12 voltas

9.º Albuquerque/Mortara/Jarvis/Van Moltke (Audi R8 GrandAm) + 22 voltas

10.º Rast/Stippler/Basseng/Baas (Audi R8 GrandAm) + 22 voltas

Páginas: 1 2

Em destaque

Subir