Motores

Albuquerque com o resultado que perseguia há anos

Filipe Albuquerque bem festejou a vitória nas 4 Horas de Portimão. E tinha boas razões para isso, pois há anos a competir no European Le Mans Series e não conseguia tal resultado.

Para o piloto português era importante ganhar diante do seu público, pois a vitória diante do seu público e num cenário como o Autódromo Internacional do Algarve tem outro ‘sabor’.

Claro que numa competição como o ELMS o trabalho de equipa é essencial, e que a esse nível a United Autosports esteve muito bem, mas o triunfo de Albuquerque também foi valorizado pela dificuldade que lhe foi criada. Primeiro pela enorme pressão exercida por Jean-Eric Vergne, quando o francês da G-Drive lhe ganhou o comando, e depois quando Will Stevens lhe tentou ‘roubar’ a primeira posição com a meta ‘à vista’.

Estas razões e outras justificavam a alegria do piloto de Coimbra no final da prova: “Estou tão, mas tão feliz. Há alguns anos que corro em Portugal no ELMS e ainda não tinha conseguido este resultado. A felicidade é imensa não só por mim, mas pelo meu companheiro de equipa que fez um trabalho fora de série e pela equipa que nos proporcionou um carro espetaular”

O final da corrida também mereceu um comentário por parte de Filipe Albuquerque: “Tinha o segundo classificado muito perto, não podia cometer erros e por qualquer razão o carro começou a fugir de traseira. Tive que manter o foco a 200 por cento porque não ia permitir que este resultado nos escapasse. Depois desta vitória, só falta conseguir o título no ELMS que já me escapou por algumas vezes. Quem sabe em 2019”.

Mais partilhadas da semana

Subir