Nas Notícias

Advogada de suspeitos da morte de Luís Grilo admite recorrer de prisão preventiva

A advogada dos dois suspeitos da morte do triatleta Luís Grilo admitiu, este sábado, a possibilidade de impugnar a decisão judicial que aplicou a medida de coação de prisão preventiva aos suspeitos da morte do desportista.

Tânia Reis confessou “compreender” a decisão, mas admitiu que “não concorda” e não se conforma com a medida de prisão preventiva aplicada a Rosa Grilo e a António Joaquim.

A advogada refere que os dois suspeitos deveriam ter ficado em liberdade, com apresentações periódicas às autoridades, o que “acautelava todas as necessidades” que o tribunal entende necessárias para o decurso do inquérito.

Apesar de revelar que os arguidos prestaram declarações durante o interrogatório judicial, Tânia Reis não esclareceu se estes responderam a todas as questões sobre os crimes de que são acusados.

António Joaquim, por ser funcionário judicial, deverá cumprir a prisão preventiva numa “cela isolada”, requereu a advogada.

Em comunicado, onde explica a medida de coação, o tribunal adianta que existe “perigo de fuga, perigo de perturbação do decurso do inquérito (mormente na vertente de aquisição, conservação e veracidade da prova) e perigo de perturbação da ordem e da tranquilidade pública (atendendo à natureza dos ilícitos em causa e a visibilidade social que a prática daqueles crimes implica).

Luís Grilo, de 50 anos, residente na localidade das Cachoeiras, no concelho de Vila Franca de Xira, desapareceu sem deixar rasto depois de sair para um treino de bicicleta.

O corpo viria a ser encontrado com sinais de violência mais de um mês depois do desaparecimento e em adiantado estado de decomposição, no concelho de Avis, distrito de Portalegre, a mais de 130 quilómetros da sua casa.

O cadáver foi encontrado perto de Alcôrrego, num caminho de terra batida, junto à Estrada Municipal 1070, por um popular que fazia uma caminhada na zona e que alertou o posto de Avis da GNR para esta ocorrência.

Antes, o telemóvel da vítima tinha sido encontrado nos Casais da Marmeleira, a seis quilómetros de casa, já no concelho de Alenquer.

crime terá sido cometido na residência do casal e posteriormente transportado para o local onde viria a ser encontrado (despido e com um saco na cabeça).

Recorde-se que Rosa Grilo concedeu uma entrevista à TVI, onde negou envolvimento no crime.

101Shares

Mais partilhadas da semana

Subir