Nas Notícias

Abuso no telemóvel pode justificar tumor de Sheryl Crow

sheryl crowO tumor no cérebro de Sheryl Crow pode dever-se ao “uso excessivo do telemóvel”, segundo revelou a cantora, num programa de televisão. Crow diz que “nos anos 90” era obrigada a utilizar “telemóveis arcaicos”, para promoção do primeiro álbum. Hoje, sente-se bem, mas está sujeita a uma vigilância médica atenta.

Sheryl Crow considera que o tumor benigno no cérebro, de que padece, poderá justificar-se com o uso excessivo de “telemóveis arcaicos”, aquando da promoção do seu primeiro álbum, em meados da década de 90.

A cantora fez a revelação à jornalista Katie Couric, durante um programa televisivo norte-americano, e a declaração foi citada pelo site TMZ. “Acho que o desenvolvimento do tumor esteja relacionado com o abuso do telemóvel, quando eu estava a promover o meu primeiro álbum. Passava horas a falar naqueles telemóveis arcaicos da altura”, afirma Sheryl Crow.

No entanto, a cantora não encontra um diagnóstico que lhe permita ter certezas e das conversas com os médicos que a acompanharam não resultaram certezas absolutas. Segundo diz Crow, “não há médicos que confirmem este meu receio”.

Em 2006, a cantora superou um cancro da mama. E em novembro de 2011 foi-lhe diagnosticado este tumor no cérebro, que lhe provocava perdas de memória. Aquando dos primeiros sinais do tumor benigno, Sheryl Crow chegou a temer que padecia de doença de Alzheimer, o que não foi confirmado.

Atualmente, Sheryl Crow sente-se bem e, apesar de estar obrigada a uma vigilância médica atenta, o tumor “não é preocupante”.

Em destaque

Subir