Mundo

“A solidariedade europeia é conversa fiada. É slogan publicitário”, diz PEV

O Partido Ecologista “Os Verdes” (PEV) elogiou hoje a “atitude responsável” dos portugueses e defendeu que não é o estado de emergência que “permite ao Governo dar as respostas necessárias” na contenção da pandemia de covid-19.

“Não é o estado de emergência” que permite ao Governo “dar as respostas necessárias” para que “não falte material de proteção aos profissionais de saúde ou ventiladores aos doentes ou para reforçar a capacidade de resposta do Serviço Nacional de Saúde (SNS)”, afirmou José Luís Ferreira, deputado do PEV, no debate, no parlamento, sobre o prolongamento do estado de exceção.

José Luís Ferreira ironizou com “a natureza solidária da União Europeia, onde, na onda neoliberal que vai imperando na Europa, reina ‘o salve-se quem puder’”.

“Sim, porque a solidariedade europeia é só conversa fiada. É um ‘slogan’ publicitário”, afirmou.

Enquanto os portugueses “continuarem a olhar com todo o sentido de responsabilidade para as recomendações das autoridades públicas”, argumentou o deputado, o Governo “continua a dispor, dentro do quadro legal normal, de todas as condições para que nada falte neste combate”.

“Assim era há 15 dias, assim continua a ser”, afirmou José Luís Ferreira, do PEV, que vai manter a sua abstenção na votação do estado de emergência, na Assembleia da República.

O que “é imperioso”, argumentou ainda, é “prosseguir com as medidas de contenção”, que “não se confundem nem se podem confundir com o estado de emergência”.

Segundo o deputado dos Verdes, “as medidas mais importantes” no “combate” ao surto do novo coronavírus “foram assumidas fora do estado de emergência, até mesmo antes dele ser decretado”, como o encerramento das escolas e o confinamento voluntário dos portugueses.

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir