Fórmula 1

A Renault precisava de um resultado como o conseguido no Canadá

A sexta e sétima posições conseguidas por Daniel Ricciardo e Nico Hulkenberg no Grande Prémio do Canadá de Fórmula 1 foi o melhor resultado conseguido esta época pela Renault, e como a equipa precisava disto.

O chefe da formação de Enstone reconhece que este desfecho constitui um forte moral, ainda que no Circuito Gilles Villeneuve tenha sido forçado a chamar a atenção aos seus pilotos para evitarem uma luta entre si por posição.

Mesmo assim Cyril Abiteboul valoriza o desempenho dos monolugares amarelos ao longo de todo o fim de semana em Montreal, com destaque para o quarto tempo conseguido por Ricciardo na qualificação.

“Foi o melhor resultado que podíamos conseguir e imaginar. O que não fomos capazes de fazer nas seis primeiras corridas do ano. É satisfatório. Mas mais uma vez é preciso ter calma face a este resultado, que mostra que há trabalho a fazer”, frisa o chefe da Renault Sport Racing.

Daniel Ricciardo não foi capaz de se manter atrás dos quatro primeiros durante a prova, não resistindo ao andamento superior de Valtteri Bottas e Max Verstappen, mas o desempenho foi considerado muito positivo por Abiteboul: “Foi uma corrida na qual era preciso jogar entre o desejo de rodar entre os carros mais rápidos do que nós e garantir um resultado importante”.

“Estamos de regresso à discussão pelo quarto lugar (de construtores) com a McLaren, que está somente dois pontos à nossa frente. Não é a mesma emoção que na qualicação, que foi uma explosão, pois foi excecional”, sublinhou o francês.

No final da corrida os conselhos da equipa passados e Nico Hulkenberg via rádio foram também explicados por Cyril Abiteboul: “Tivemos de fazer uma coisa de que não gostamos. Dissemos-lhe ‘temos de conseguir este resultado juntos. Paramos por aqui’”.

A ordem foi justificada, pois Hulkenberg queria passar Ricciardo alegando que tinha melhores pneus do que o australiano, depois dos duelos que o titular do Renault # 3 teve com Bottas e Verstappen. Mas o alemão reconheceu: “Precisávamos deste resultado”.

Mais partilhadas da semana

Subir