Clube dos Pensadores

A mania do Estado mandar nas pessoas

facebook1facebook logo 600O Estado vai limitar acesso da Internet nas Escolas. O Ministério da Educação decidiu limitar o acesso a sites como Facebook, Instagram, Tumblr, lojas Android e Apple, para toda a comunidade escolar: alunos; professores; pessoal administrativo e auxiliar.

Alega o ministério que as referidas páginas não são pedagógicas. Porém o Youtube não terá limitação de acesso.

Não entendo mais esta censura e controlo sobre as pessoas. O Estado tem a mania que é nosso paizinho que nos diz o que devemos, fazer ou não. Rejeito completamente esta norma. As redes sociais devidamente utilizadas são um acrescento intelectual, e não, algo execrável e malévolo. Aliás este governo utiliza imensas vezes o Facebook para comunicar com os portugueses anunciando medidas, explicando resoluções, nefastos programas eleitorais, para inglês ver, etc.. Ainda recentemente a maioria governamental apresentou no Twitter algumas linhas mestras do seu programa para as eleições europeias de 25 de Maio.

Em relação a haver algum controle e horas específicas para que os alunos possam utilizar as redes socais devidamente controladas e visionadas pelos professores estou completamente de acordo. Uma criança, um jovem precisa de ser orientado, informado e ensinado que há momentos de trabalho e de lazer, e aprender a distinguir o bem do mal. Todavia condicionar o acesso a redes sociais a pessoas de maior idade: professores; funcionários da escola. Sinceramente não lembra ao diabo.

Por outro lado o Youtube tem tanta coisa má ou lixo como as redes sociais, a começar por pornografia, etc.

A Escola não se pode alhear do mundo que a rodeia e deve sempre estar à frente na evolução e na vanguarda do que se passa à sua volta. A Escola já é há muito tempo acusada de não acompanhar os ventos de mudança e a ficar ultrapassada. Há muita gente que utiliza o Facebook, o Skype, etc., para tratar de assuntos de trabalho, informações e trocas de experiências. É uma forma de comunicar rápida, evoluída e barata.

Temos sempre a mania da sociedade prevaricadora e do controle de tudo e mais alguma coisa. Por outro lado o Estado trata os seus cidadãos como atrasados mentais, em que se tem que lhes indicar tudo e como se deve fazer. Todavia há imensa dificuldade, até inoperância, para os cidadãos controlarem quem governa e toma estas resoluções sem pés nem cabeça.

Há tempos o governo queria ou quer limitar, que uma pessoa dona do seu carro seja proibida de fumar dentro dele! Eu vivo numa sociedade livre e democrática, em que há o direito à liberdade de escolha, à privacidade e a fazer o que bem entendo sem prejudicar terceiros, no que é meu. Isto é, na minha casa, no meu carro mando eu: fumo se me apetecer; ponho música se me apetecer; vejo televisão e os programas que me apetecer; durmo se me apetecer; falo do que me apetecer; como o que me apetecer; bebo o que me apetecer; etc. Eu não fumo nem bebo, estou à vontade, mas apesar de saber que faz mal fumar e beber em demasia não posso proibir as pessoas de o fazer, claro que arcam com as consequências, mas isso, é um problema de quem o faz.

Se há pessoas que gostam de fumar porque não o podem fazer no seu carro? Acho um absurdo, excesso de zelo e sensatez impor a pessoas de maior idade, com capacidade eleitoral, o que devem fazer ou não. Só nos falta dizer em quem somos obrigados a votar!

Não aceito que me digam ou imponham o que devo fazer ou ver na Internet. Estou cansado deste Estado pseudo-policial, meu paizinho, sempre com controlo e a dizer o que devo fazer. Sou a favor de uma sociedade livre mas responsável. Não bebo, não fumo porque sei que me faz mal à saúde, mas não deixo de beber ou fumar, porque alguém me impõe por lei que não o posso fazer. Não deixo de ir ao Facebook porque há quem o utilize de forma deturpada.

Talvez o Estado devesse pensar no mal que faz às pessoas com esta austeridade anacrónica e brutal sem escolha e impositiva, fizesse uma avaliação séria dos efeitos colaterais que terá no futuro nesta geração e nas vindouras!

Mais partilhadas da semana

Subir