Mundo

“A justiça não faz absolutamente nada. O que nos resta? Hackers e denunciantes”

Joana Amaral Dias marcou presença numa vigília de apoio a Rui Pinto, preso preventivamente há quase um ano no âmbito do caso Doyen e denunciante do Luanda Leaks.

“Temos, num país europeu do século XXI, os criminosos à solta e os denunciantes desses crimes presos, como é o caso do Rui Pinto”, condenou a antiga eurodeputada, em declarações à TVI.

“Muitos destes crimes, como os do Luanda Leaks, eram conhecidos já há muito tempo, foram denunciados por muitas pessoas, como o Rafael Marques. O próprio Rui Pinto terá feito denúncias no site do Ministério Público”, frisou.

Para Joana Amaral Dias, a justiça portuguesa está “castrada” e “refém”, pelo que não pode atuar.

“Sequestrada pelos interesses maiores, não faz absolutamente nada. O que nos resta? efetivamente, que existam hackers e denunciantes”, afirmou.

Segundo a candidata à Câmara de Lisboa pelo Nós, Cidadãos nas últimas legislativas, “o que o Rui Pinto fez foi denunciar crimes muito graves e dar um contributo profundo para a qualidade do nosso regime democrático”.

Ao invés,”os reguladores, como o Banco de Portugal e a CMVM, e todo o sistema judicial fecharam os olhos”, lamentou Joana Amaral Dias.

235Shares

Mais partilhadas da semana

Subir