Nas Notícias

8.600 pessoas afetadas pelo mau tempo na província moçambicana de Cabo Delgado

O número de pessoas afetado pelo mau tempo na província de Cabo Delgado, norte do país, subiu de 2.650 para 8.600 pessoas, disse hoje o Instituto Nacional de Gestão de Calamidades (INGC).

Os dados preliminares do INGC indicam que “8.600 pessoas foram afetadas pela chuva, acompanhada de ventos fortes, desde o dia 26 de dezembro” na província de Cabo Delgado, lê-se num documento da entidade.

Há registo de mais de 1.700 casas afetadas, assim como 59 postos de energia e quatro casas de culto.

As intempéries destruíram ainda 13 salas de aula parcialmente, afetando cerca de 1.500 alunos naquela província.

A ponte sobre o rio Montepuez, na Estrada Número 380, desabou na madrugada de sábado, na sequência do mau tempo que já provocou a morte de pelo menos cinco pessoas, segundo dados Conselho Coordenador do INGC, citado pela Agência de Informação de Moçambique.

No mesmo dia, o Governo moçambicano emitiu um alerta laranja para todas as províncias do país, como forma de dar celeridade à mobilização de recursos para a assistência a vítimas e à reposição de danos, tendo em conta que a época chuvosa no país só termina em abril.

Além de Cabo Delgado, o mau tempo atingiu uma parte de Nampula, mas em regime fraco e moderado, indicou o delegado do INGC naquela província, Alberto Armando, em declarações à Lusa.

O mau tempo afetou cerca de 130 pessoas afetadas nesta região e destruiu totalmente e parcialmente 37 casas e há registo de um acumulação de areia na zona baixa de Nacala.

Em abril deste ano, alguns pontos da província de Cabo Delgado foram atingidos pelo ciclone Kenneth, que causou a morte a 45 pessoas e afetou outras 250 mil.

Um mês antes da passagem do Kenneth, o centro de Moçambique foi devastado pelo ciclone Idai, que provocou mais de 600 mortos e afetou cerca de 1,5 milhões de pessoas no centro do país, além de destruir várias infraestruturas.

Entre os meses de novembro e abril, Moçambique é ciclicamente atingido por ventos ciclónicos oriundos do Índico e por cheias com origem nas bacias hidrográficas da África Austral.

No total, 714 pessoas morreram durante o período chuvoso em 2018/2019, incluindo 648 vítimas dos ciclones Idai e Kenneth.

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir