Hoje é dia

21 de junho, nasce Benazir Bhutto, aclamada e morta pelos muçulmanos

Hoje é dia de assinalar o nascimento de grandes nomes da História mundial, desde ‘Alexandre, o Grande’, a Johann Bach, passando por Jean-Paul Sartre. Mas é dia de contar a história de Benazir Bhutto, a estadista paquistanesa que viveu entre a luta partidária e o exílio, até ao poder, até à morte. Bhutto nasceu a 21 de junho.

Benazir Bhutto nasceu em Karachi, no Paquistão, a 21 de junho de 1953. Foi uma política paquistanesa, duas vezes eleita primeira-ministra, tornando-se na primeira mulher a ocupar aquele cargo num Estado muçulmano moderno, depois de ter estudado ciências políticas em Harvard e Oxford.

Esteve na prisão e viria a ser libertada, em 1984. Foi para Londres, Reino Unido, onde encontrou exílio até o final da lei marcial, no Paquistão, altura em que os partidos políticos são legalizados. A 10 de abril de 1986, Benazir regressa do exílio e no Paquistão lidera o PPP.

Até que a 1 de dezembro de 1988 vence as eleições legislativas e se torna a primeira chefe de Governo de um Estado muçulmano.

Dois anos mais tarde, é destituída pelo presidente paquistanês, Ghulam Ishaq Khan, por alegado abuso de poder, nepotismo e corrupção.

Bhutto não se conforma. Com um espírito estadista, passa a fazer oposição, até que a 19 de outubro de 1993 regressa ao cargo, eleita pela segunda vez. Acaba novamente destituída, com as mesmas acusações.

Volta a exilar-se, em Londres e no Dubai, enquanto a justiça paquistanesa a julga e condena. A 5 de outubro de 2007, consegue uma amnistia, voltando ao Paquistão.

Desembarca em Karachi, cidade que a viu nascer, e é recebida por uma centena de milhar de pessoas.

No desfile de regresso ao Paquistão, sofre dois atentados (que provocam 140 mortos) e escapa com vida.

Benazir Bhutto morre a 27 de dezembro desse mesmo ano, após um atentado suicida em Rawalpindi, cidade perto de Islamabad.

Foi alvejada no pescoço e no peito, por um homem-bomba que se fez explodir, matando mais 20 pessoas. O atentado foi reivindicado pela al-Qaeda.

Benazir Bhutto era considerada uma mulher brilhante, uma líder forte e uma pessoa que lutava pelos trabalhadores e pela liberdade. A sua luta derrotou-a.

Na viagem pelo dia 21 de junho, em que se assinala o nascimento da mulher coragem do Paquistão, em 1662, o Padre António Vieira é intimado a depor perante o Tribunal da Inquisição, o que origina a ‘Resposta aos 25 Capítulos’ da acusação contra si.

Em 1947, dá-se a crise na Academia de Lisboa, com a ação da PIDE, que prende os membros da Comissão Académica e da Comissão Central do MUD juvenil. Entre os detidos, estavam Mário Soares, Salgado Zenha e Rui Grácio.

A 21 de junho de 1948, é apresentado em Nova Iorque o disco LP, pela Columbia Records, numa cerimónia que decorre no Hotel Waldorf-Astoria. Também na área das Artes, neste dia, em 1978, estreia em Londres o musical ‘Evita’, de Andrew Lloyd Webber.

Já em 1990, os Parlamentos da República Democrática Alemã e da República Federal Alemã aprovam o Tratado de União Monetária, Económica e Social, que conduz à reunificação do país.

Nasceram neste dia ‘Alexandre, o Grande’ (356 aC, data não consensual), Leonhard Rauwolf, físico e botânico alemão (1535), Anthony Collins, filósofo inglês (1676), Johann Bach, compositor alemão (1732), Siméon Denis Poisson, matemático francês (1781), Max Wolf, astrónomo alemão (1863), Jean-Paul Sartre, filósofo francês (1905), William Vickrey, economista canadiano, Prémio Nobel (1914), Françoise Sagan, escritora francesa (1935), Benazir Bhutto, política paquistanesa (1953), Michel Platini, ex-futebolista francês (1955), Manu Chao, músico francês (1961), e David Foster Wallace, escritor norte-americano (1962)

Morreram a 21 de junho Eduardo III de Inglaterra (1377), Nicolau Maquiavel, historiador e cientista político italiano (1527), Alexis Thérèse Petit, físico francês (1820), Édouard Vuillard, pintor francês (1940), Teixeira Lopes, escultor português (1942), Gideon Sundbäck, engenheiro e inventor sueco (1954), e John Lee Hooker, músico norte-americano (2001).

Hoje é Dia Mundial do Yoga, Dia do Aperto de Mão, Dia Universal Olímpico, Dia Mundial do Skate, Dia do Intelectual, Dia do Imigrante e Dia da Rainha.

E 21 de junho é o dia do solstício de junho, que marca o início do verão no hemisfério norte e o inverno no hemisfério sul. No hemisfério norte, é o dia mais longo do ano e, consequentemente, a noite mais curta. No hemisfério sul, sucede o contrário.

51Shares

Mais partilhadas da semana

Subir