Hoje é dia

20 de setembro, dia de recordar Wiesenthal, o ‘caçador de nazis’

Vinte de setembro é dia de homenagear Simon Wiesenthal, sobrevivente dos campos de concentração da II Guerra Mundial, que dedicou a vida a levar os nazis à justiça.

Simon Wiesenthal nasceu em Buczacz (no Império Austro-Húngaro, hoje, na Ucrânia), a 31 de dezembro de 1908. Formou-se em arquitetura pela Universidade de Praga em 1932 e fixa residência em Lvov, cidade da Polónia que viria a ser ocupada pela União Soviética.

Quando a Alemanha nazi invadiu a União Soviética, em junho de 1941, Wiesenthal e a família foram detidos. Passou quatro anos e meio em vários campos de concentração, como o de Mauthausen, onde foi libertado pelas tropas americanas em maio de 1945.

Sobreviveu aos campos de concentração nazis, reencontra a esposa, com a qual teve uma filha, passando a viver em Linz, na Áustria. A partir de então, dedicou toda a sua vida a localizar, identificar e levar à justiça os criminosos nazis.

Wiesenthal fundou um centro de documentação sobre as vítimas do Holocausto, em 1947, e foi responsável pela prisão de mais de 1100 criminosos. Nas suas memórias, escreveu que “os nazis não escaparão sem punição, pela morte de milhões de seres humanos”.

Procurou de forma intensa de Adolf Eichmann, alto oficial nazi, que organizava o transporte de judeus para campos de extermínio na Europa. Depois de o conseguir, Eichmann viria a ser sequestrado na Argentina pela Mossad (serviço secreto israelita), e levado para julgamento, sendo condenado à morte, em 1962.

A 19 de fevereiro de 2004, Simon Wiesenthal foi feito cavaleiro pela rainha Isabel II, como resultado do seu contributo para a justiça na Humanidade. Foi nomeado quatro vezes para o Prémio Nobel da Paz, mas nunca conquistou um prémio que mereceu.

Wiesenthal morre em Viena, a 20 de setembro de 2005 e é recordado hoje, com a homenagem da memória, da memória de quem se tornou inesquecível.

Neste dia 20 de setembro, em 1519, Fernão de Magalhães inicia, a partir de Espanha, a primeira viagem de circum-navegação do mundo. Já em 1930, a lâmpada elétrica é patenteada. E em 1999, dá-se a libertação de Timor-Leste pelas forças da ONU.

Nasceram a 20 de setembro Upton Sinclair, escritor americano (1878), Sophia Loren, atriz italiana (1934), Nuno Bettencourt, músico português (1966), e Juan Pablo Montoya, piloto colombiano (1975).

Morreram neste dia Pierre Méchain, astrónomo e geógrafo francês (1804), Jacob Grimm, dos Irmãos Grimm (1863), Saint-John Perse, poeta e diplomata francês (1975), Jule Styne, compositor inglês (1994), Gherman S. Titov, cosmonauta russo (2000), e Simon Wiesenthal, arquiteto austríaco e ‘caçador’ de nazis (2005).

65Shares

Mais partilhadas da semana

Subir