Economia

Qualifica IT vai reintegrar mais 75 licenciados no mercado de trabalho

A segunda edição o Qualifica IT arranca nesta sexta-feira, com o objetivo de formar e reconverter licenciados desempregados para o setor das TICE (Tecnologias da Informação, Comunicação e Eletrónica), facilitando a sua entrada no mercado de trabalho. Resultante de uma parceria entre a InvestBraga, a Universidade do Minho e o IEFP, o programa (que na estreia garantiu uma elevada taxa de empregabilidade) terá  75 licenciados desempregados, que terão formação durante cerca de 30 semanas.

Lançado em julho de 2015, o Qualifica IT insere-se na estratégia integrada da InvestBraga para a captação de investimento na região de Braga e para a promoção do emprego qualificado.

O programa tem como objetivo dotar licenciados desempregados das competências adequadas às necessidades das empresas da área de desenvolvimento de software, favorecendo a colocação nas empresas tecnológicas, existentes na região.

“Os excelentes resultados da 1.ª edição do programa, que contou com 100 participantes, justificam a continuidade deste projeto, que, por um lado, combate o desemprego, e, por outro, garante que existe mão-de-obra altamente qualificada, para responder às necessidades de contratação das empresas locais do setor e atrair ainda mais empresas da área das tecnologias para Braga”, explicou Carlos Oliveira, presidente da InvestBraga.

Carlos Oliveira destacou ainda que a reconversão de competências nesta área é de grande importância, por se tratar de “um setor com elevada taxa de empregabilidade e em que, muitas vezes, as empresas têm dificuldades em encontrar recursos humanos suficientemente especializados”.

À InvestBraga, à Universidade do Minho e ao IEFP juntam-se mais de 20 empresas presentes na região, como a Accenture, a Bosch Car Multimédia, o grupo dst, a WEDO Technologies e a Primavera BSS, entre outras, onde os formandos farão o estágio final de formação.

A sessão de abertura e de acolhimento aos novos alunos decorreu esta tarde, na Universidade do Minho, no Campus de Gualtar em Braga.

Os 75 formandos terão agora pela frente 600 horas de formação (cerca de 30 semanas) na Universidade do Minho e 384 horas (cerca de 10 semanas) de formação prática em contexto de trabalho, nas instalações das empresas.

Ao longo deste período, ficarão a conhecer as principais tecnologias e linguagens de programação, atualmente utilizadas nos vários tipos de aplicações, e aptos a iniciar uma nova carreira profissional.

0Shares

Mais partilhadas da semana

Subir