Política

Vítor Gaspar assume que errou num “compromisso político central”

vitor gaspar5Vítor Gaspar, ministro das Finanças, assume que “o cumprimento do défice era um compromisso político central”, chamando a si “a responsabilidade” desse “não cumprimento”. O ministro, que participava numa comissão parlamentar do Orçamento de Estado, revela que a despesa interna prejudicou a execução orçamental.

“O compromisso de cumprimento dos limites do défice para 2012 era um compromisso político central, que não pôde ser cumprido. E a responsabilidade desse incumprimento é minha”, afirmou hoje Vítor Gaspar, na Assembleia da República, durante uma comissão parlamentar sobre a proposta de Orçamento de Estado para 2013.

O ministro das Finanças apontou a causa para essa projeção falhada: “As razões desse não cumprimento são conhecidas. Destaco a evolução da despesa interna sobre a execução orçamental”.

No entanto, Vítor Gaspar rebateu as críticas sobre promessas incumpridas. “As previsões macroeconómicas são naturalmente são incertas e não faz sentido interpretá-las como uma promessa”, disse o ministro.

Vítor Gaspar respondia ao deputado do Bloco de Esquerda, Pedro Filipe Soares, que citou declarações do ministro. “Há um ano, o senhor ministro das Finanças disse que não iríamos falhar as metas para 2012. Não iríamos falhar porque o falhanço não era uma alternativa. Um ano depois, as metas para 2012 estão mais do que falhadas”, recordou Pedro Filipe Soares, que acusou o Governo de “falta de palavra”.

“O problema principal do sistema político é a falta de palavra dos político, que faz tremer as pessoas. E o Governo tem agravado essa falta de palavra”, acrescentou Pedro Filipe Soares.

Nesta comissão parlamentar, foi possível perceber uma total sintonia entre os deputados do PSD e o Governo, bem como uma ‘promessa’ do CDS, que vai tentar reduzir a austeridade do Orçamento de Estado para 2013.

Mais partilhadas da semana

Subir