Ciência

Vídeo: Cientista tropeça em fóssil de dinossauro com 65 milhões de anos

Uma cientista que procurava fósseis encontrou um maxilar de um dinossauro por acaso: tropeçou no que pensava ser uma rocha, numa zona acidentada do Wyoming, nos EUA. Afinal, era um osso de um tricerátops com cerca de 65 milhões de anos.

Alison Teal estava no local à procura de fósseis juntamente com Marcus Eriksen, co-fundador do Instituto 5 Gyres (organizaçao que alerta para poluição provocada pelo plástico) e o youtuber Jack Tenney.

Ao tropeçar, a cientista, natural do Havai, escavou um pouco e apercebeu-se de que afinal não era uma rocha, como pensou inicialmente.

Com a ajuda dos colegas, desenterrou parte da mandíbula de um tricerátops, um dinossauro herbívoro que viveu na Terra o durante período Cretácico, entre 66 a 68 milhões de anos atrás.

“Desenterrar este fóssil mostrou-nos a realidade chocante da extinção”, afirmou Alison Teal: “Se não alterarmos a forma como vivemos, também nós vamos ser apenas mais uma camada de sedimentos na história”.

O tricerátops deve o nome aos três chifres que apresenta, embora não haja uma explicação científica unânime para o motivo deste animal ter chifres.

Contemporâneo do Tyrannosaurus Rex, o tricerátops seria um dos alvos preferenciais do temível predador, apesar do grande porte: chegava a pesar 12 toneladas e a atingir os nove metros de comprimentos e os três de altura.

Receba esta e outras notícias virais no seu e-mail todos os dias!


Patrocinado

Newsletters PT Jornal

O que quer receber?

Mais partilhadas da semana

Subir
error: