Sociedade

Vandalismo contra portagens: Pórtico da Via do Infante destruído com fogo e disparos de caçadeira

auto-estrada1Os protestos contra a cobrança de portagens na A22 (Via do Infante) extremaram-se, com disparos de caçadeira e fogo posto, no pórtico da zona de Boliqueime. O sistema ficou danificado, em virtude de um ato de vandalismo que a Comissão de Utentes da Via do Infante já repudiou e considera “criminoso”.

Contra as portagens, disparar e incendiar. O ato não é inédito ocorreu agora no pórtico onde se fazem as cobranças na Via do Infante, zona de Boliqueime. O sistema que procede à leitura automática das matrículas dos automóveis foi gravemente danificado, na A22, numa ação levada a cabo por desconhecidos, na madrugada desta segunda-feira.

A Estradas de Portugal está neste momento a proceder a uma avaliação dos prejuízos e irá substituir os equipamentos danificados (com vários tiros de caçadeira e também fogo posto). Não foi ainda apontada uma previsão sobre o regresso das cobranças naquele pórtico.

Apesar de liderar os protestos contra o pagamento de portagens naquela autoestrada, a Comissão de Utentes da Via do Infante rejeita qualquer responsabilidade e repudia o ato de vandalismo, com o qual não se identifica. Disparar tiros e incendiar pórticos “são procedimentos criminosos que lesam os cidadãos”, defende João Vasconcelos.

O responsável máximo pela comissão de utentes refere que esta “não apoia atos de violência” nem adota como forma de protesto “ações deste género”. A A22 está a ser alvo de outro boicote, que se consubstancia no recurso às vias alternativas, como é exemplo a Estrada Nacional 125, que se encontra “um autêntico caos”, dado o excesso de veículos.

João Vasconcelos apela aos cidadãos que protestem de forma civilizada contra a cobrança de portagens nas ex-scut e sustenta que o desespero de alguns utentes poderá justificar esta atitude inpensável.

Mais partilhadas da semana

Subir