Cultura

‘Van Gogh: The Life’: Biografia desmente teoria do suicídio, revela BBC

van_goghVincent van Gogh poderá não ter cometido suicídio, segundo revela uma nova biografia – ‘Van Gogh: The Life’, divulgada pela BBC – trabalho que resulta de uma investigação à vida do pintor impressionista. O holandês terá sido alvejado, por dois jovens.

Segundo a biografia ‘Van Gogh: The Life’, assinada pelos investigadores Steven Naifeh e Gregory White Smith, o pintor não se suicidou e, ao contrário do que se julga, morreu vítima de dois tiros.

A vida do pintor impressionista, considerado um dos maiores de sempre, foi exaustivamente analisada por Naifeh e Smith, que avançam com a teoria de crime, deitando por terra a tese de que o holandês terá cometido suicídio, quando contava 37 anos.

Esta biografia narra o percurso de Van Gogh, desde o seu nascimento até a um campo de trigo em Auberge Ravoux (em França), local onde terão sido disparados os tiros. A morte não terá sido imediata. Segundo os investigadores, o pintor sucumbiu dois dias depois, vítima desses graves ferimentos.

Vincent van Gogh nasceu em 1853 e morreu em 1890. Desde sempre, a sua morte foi associada a suicídio. Esse trágico fim de um génio resultou, segundo a tese que desde sempre perdurou, de uma vida marcada por fracassos sucessivos.

Não conseguiu constituir família, não foi capaz de suportar as despesas para a sua subsistência e era pouco sociável, sentindo-se infeliz. Pensava-se que falecerá após suicídio, em virtude de problemas mentais que enfrentava. Mas a vida de Van Gogh foi agora reescrita…

Mais partilhadas da semana

Subir