Sociedade

Taxistas lusos são bons, indica estudo da FIA em 22 cidades da Europa

taxisOs taxistas europeus foram avaliados pela Federação Internacional do Automóvel (FIA), sendo que os portugueses, representados por Lisboa, conseguiram passar no teste e estão ao nível dos melhores. No entanto, nenhuma cidade obteve a classificação ‘excelente’. Apanhar um táxi é seguro em Lisboa, mas um perigo em Ljubljana (Eslovénia), a cidade pior classificada.

O estudo da FIA avaliou o comportamento dos taxistas, em diversos parâmetros: desde o modo de condução, ao respeito pelo Código da Estrada, passando pela relevância do papel dos táxis num contexto de mobilidade urbana.

Nenhuma das 22 cidades analisadas conseguiu a nota máxima (excelente), mas os taxistas de Lisboa – em representação dos portugueses – estão aprovados. São bons e integram-se num restrito grupo de grandes cidades: Berlim, Paris, Barcelona, Munique, Milão e Colónia.

A classificação ‘aceitável’ foi entregue aos taxistas de Bruxelas, Genebra, Zurique, Oslo, Roterdão, Hamburgo, Zagreb e Salsburgo. Já em Madrid, Amesterdão, Roma, Luxemburgo, Praga, e Viena encontram-se maus taxistas. Ljubljana, na Eslovénia, tem este serviço mal catalogado. ‘Muito mau’, segundo a Federação Internacional do Automóvel.

Sujeitos a uma análise, os taxistas de todas as cidades não evitaram infrações ao Código da Estrada. O desrespeito pelos sinais vermelhos e o excesso de velocidade foram as mais graves.

Os percursos que os táxis percorrem também mereceram análise, no que diz respeito à qualidade das estradas e facilidade de acesso a uma rede integrada de outros transportes, como comboios e aeroportos. Barcelona esteve em destaque, com a melhor nota.

No lado oposto, Roma, com o motorista de táxi a perder-se por mais do que uma vez e a cobrar mais dinheiro do que indicava o taxímetro… Os preços em Roma também estão muito acima do aceitável.

A FIA sublinha, numa visão geral, o papel relevante que este meio de transporte representa, em qualquer uma das cidades, no que concerne à mobilidade urbana. E foi partindo deste pressuposto que o estudo foi realizado.

Os taxistas portugueses merecem nota positiva e só têm de melhorar a língua, já que ‘chumbaram’ no diálogo em Inglês.

Mais partilhadas da semana

Subir