Sociedade

Sónia Brazão: Ministério Público aponta outra tentativa de suicídio da atriz em 2005

sonia-brazao3Sónia Brazão viu deduzida acusação dos crimes de explosão e incêndio, numa decisão do Ministério Público que coloca a atriz perante uma moldura penal com pena de prisão. A decisão de acusar Brazão resulta das perícias, de incongruências nos depoimentos, com a agravante de uma tentativa de suicídio que terá ocorrido em 2005.

A atriz Sónia Brazão terá tentado o suicídio, a 27 de junho de 2005, utilizando o mesmo método que, segundo a acusação do Ministério Público, provocou a explosão do seu apartamento, em Algés: libertação de gás intencional.

A finalidade era a mesma: gerar uma explosão. Essa tentativa de suicídio, que ocorreu há seis anos, foi arquivada, até porque não atingiu a dimensão desta, que gerou a destruição do apartamento e de outros contíguos, além de danos em automóveis que se encontravam na via.

Esta alegada tentativa de suicídio foi mais um argumento a pesar na decisão do Ministério Público, decisão que vai de encontro às investigações da Polícia Judiciária, realizadas logo após o incêndio, que determinaram que Sónia Brazão fosse constituída arguida, num processo que terminará nos tribunais, com o despacho ontem conhecido.

A moldura pena mínima prevê pena de três anos de prisão. Recorde-se que a atriz foi constituída arguida depois de ter prestado declarações à Polícia Judiciária, que encontrou contradições no depoimento e incongruências relativamente aos dados das perícias realizadas ao apartamento.

Se for acusada e condenada, enfrentará uma moldura penal que varia entre os três e os 10 anos de prisão. Uma eventual prova de culpa também vai mexer com as indemnizações a pagar pelas seguradoras, decorrentes dos estragos.

Sónia Brazão já negou que tivesse tentado o suicídio. Em declarações ao Correio da Manhã, refere agora que está a aguardar ser notificada e não reage ao despacho do Ministério Público.

Mais partilhadas da semana

Subir