Fórmula 1

Sergey Sirotkin confirmado na Williams

Tal como já se esperava, após várias semanas de especulação, Sergey Sirotkin foi oficialmente anunciado como piloto da Williams em 2018, substituindo Felipe Massa ao lado de Lance Stroll. O russo, antigo piloto de reserva da Renault, vê assim confirmada a oportunidade que lhe foi dada por fortes patrocinadores do seu país para se tornar finalmente um piloto de corrida.

Robert Kubica, que chegou a ser apontado para o lugar, vê assim adiada a possibilidade de regresso à F1, já que foi anunciado como piloto de desenvolvimento e de reserva da equipa britânica.

Sirotkin, de 22 anos, terá impressionado positivamente a Williams durante os testes pós temporada realizados no Abu Dhabi, e onde também participou Kubica. O jovem russo foi terceiro na GP2 Series em 2015 e 2016, tendo sido piloto de testes da Renault em 2017, participando em algumas primeiras sessões de treinos livres em vários grandes prémios.

“Dizer que estou contente e orgulhoso para guiar para uma equipa com a Williams é pouco. Levou bastante tempo e trabalho para chegar a onde estou, e estou bastante satisfeito e agradecido a todos os envolvidos. O resultado dos nossos esforços combinados ajudou-lhe a alcançar o meu sonho, e o resto assegurou-me uma equipa onde posso exprimir o meu melhor”, reagiu Sergey Sirotkin.

Para Claire Williams, a diretora da equipa, a opção pelo piloto russo foi tomada “após um extensivo processo de avaliação”, mostrando-se contente pelo facto da dupla de pilotos para 2018 estar definida, para além de “estar entusiasmada para ver o que a próxima época reserva. Levamos o nosso tempo para avaliar todas as opções disponíveis e estou confiante de que Lance e Sergey podem conseguir os melhores resultados para a equipa”.

A filha de Frank Williams destacou também o facto da filosofia da equipa ter sido sempre promover jovens talentos para que a escolha tenha recaído em dois pilotos jovens, acreditando que em 2018 Lance Stroll poderá tirar partido da época de aprendizagem que teve na temporada anterior.

Já Robert Kubica, agora 33 anos, mostrou-se contente por pelo menos ficar ligado a uma equipa de Fórmula 1, apesar de o fazer apenas como piloto de reserva:

“Estou extremamente contente por me juntar à Williams como piloto de desenvolvimento. Sinto-me fisicamente na melhor forma, mas levou bastante tempo para estar como estou, porisso agradeço à Williams pelas oportunidades que deu até agora, e deposito a minha fé neste compromisso. Gostei de voltar ao ‘paddock’ da Fórmula 1 nestes últimos meses e estou ansioso por trabalhar com a equipa técnica da Williams, tanto nos circuitos como na fábrica, ajudando-a a evoluir o FW 41, para que faça uma verdadeira diferença na campanha de 2018”.

Mais partilhadas da semana

Subir