Europa

Séculos após a sua morte, foi encontrada no caixão desta mulher uma urna com o coração do amado

O túmulo da francesa Louise de Quengo, Senhora de Brefeillac, foi descoberto num antigo convento jacobino, por um grupo de arqueólogos, em 2013. No caixão estava outro artefacto que surpreendeu os investigadores: uma urna em forma de coração, com um coração verdadeiro embalsamado, que pertencia ao amor da sua vida, Toussaint de Perrien, Cavaleiro de Brefeillac.

Na altura, era comum a prática de remover órgãos de pessoas falecidas. No entanto, os arqueólogos nunca haviam testemunhado uma situação como a que encontram no caixão.

Segundo o artigo que foi publicado no site da ‘National Geographic’, Louise morreu aos 65 anos, em 1656. O seu cadáver foi encontrado pela equipa de arqueólogos, num estado de preservação excelente. Após vários exames, os investigadores concluíram que o coração de Louise também foi removido do corpo antes de ser enterrado.

Por enquanto não se sabe onde poderá estar, pelo que muitos defendem a hipótese de estar junto do corpo de Toussaint de Perrien, que morreu sete anos antes e cuja sepultura nunca foi encontrada. Sabe-se apenas que foi enterrado num convento em Carhaix, cerca de 200 quilómetros de distância.

A ‘National Geographic’ conta que o corpo de Louise de Quengo foi reclamado pelos seus descendentes, que o enterraram em 2015, perto do castelo de Tonquédec, uma propriedade da família.

O coração de Toussaint de Perrien continua num laboratório para se realizar mais análises.

Poderá ler o artigo completo da ‘National Geographic’ aqui.

 


Patrocinado

Newsletters PT Jornal

Selecione as newsletters

Mais partilhadas da semana

Subir