Nas Notícias

Rita Ferro Rodrigues recebe 73 mil euros em fundos europeus para a Capazes e… acha “pouco”

A associação feminista Capazes, liderada por Rita Ferro Rodrigues, conseguiu 73 mil euros para a instituição em fundos europeus, a fim da realização de conferências para falar sobre a igualdade e o género, no Alentejo. Filha do socialista e atual presidente da Assembleia da República, Rita Ferro Rodrigues desvaloriza críticas pelo facto de ter escolhido autarquias quase todas do PS e até admite que o valor da ajuda europeia é… “pouco”.

Uma candidatura a fundos europeus valeu ao projeto Capazes um valor a rondar os 73 mil euros para a realização de um projeto que visa debater o tema do género e da igualdade.

Mariana Mortágua, João Baião e youtubers são alguns dos convidados de Rita Ferro Rodrigues nas conferências, que são apoiadas no âmbito do Programa Operacional Inclusão Social e Emprego (POISE) do Portugal 2020.

Rita Ferro Rodrigues considera que os 73 mil euros são um valor que é até “pouco”.

O projeto decorre em zonas como Odemira, Portalegre, Elvas e Ponte de Sor, locais com autarquias do PS, com exceção de Portalegre que é independente.

Rita Ferro Rodrigues, filha do presidente da Assembleia da República e socialista Eduardo Ferro Rodrigues, desvaloriza esta situação.

“Quando vou às autarquias não vejo de que partido são”, garantiu ao Observador, salientando que associar o partido do pai aos locais escolhidos para apresentar a Capazes com o dinheiro dos fundos europeus faz parte do “julgamento das pessoas”.

A escolha é, de resto, justificada.

“Sabíamos, por referências da Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género (CIG), que [o Alentejo] era uma área carenciada neste tipo de ações”, explicou Rita Ferro Rodrigues que sublinha não ser remunerada no projeto Capazes.

Veja algumas fotos de uma das conferências e vídeos de Rita Ferro Rodrigues na viagem com João Baião – um dos oradores:



Mais partilhadas da semana

Subir