Fórmula 1

Renault espera por uma resposta da Red Bull até 31 de maio

A questão de saber que motores irá usar a Red Bull Racing no Campeonato do Mundo de Fórmula 1 em 2019 continua em ‘cima da mesa’. A Renault quer que a equipa se decida até 31 de maio.

Já por diversas vezes a marca do losango quis que a equipa de Milton-Keynes se decidisse quanto à continuidade ou não com os propulsores franceses, mas a formação liderada por Christian Horner permanece silenciosa quanto ao tema, levando a que se avolumem os rumores de que a indecisão por uma mudança para os motores da Honda reside na expetativa quanto à performance da ‘irmã’ Toro Rosso, que usa atualmente os blocos da marca japonesa.

Segundo as regras da Federação Internacional do Automóvel as equipas têm de indicar com que fornecedor de motor vão trabalhar na próxima época até 15 de maio. Não é uma data limite restrita, mas a Renault já disse que tem de conhecer a decisão até, o mais tardar, 31 de maio, invocando questões logísticas.

“Depois de 31 de maio não poderemos garantir a entrega dos motores Renault (à Red Bull) em 2019. Já demos duas semanas extra à Red Bull. Depois de 12 anos de cooperação bem sucedida estamos prontos a continuar com a Red Bull. O principal problema é o tempo”, fez saber o diretor da Renault Sport, Cyril Abiteboul.

Mas este ultimato também tem a ver com o facto da marca francesa querer continuar com uma equipa que continua a ser a única a incomodar as duas equipas de topo, Mercedes e Ferrari. Em Barcelona Christian Horner já disse que uma decisão da equipa só virá em junho, o que leva ainda mais especulação sobre o assunto.


Newsletters PT Jornal

O que quer receber?

Mais partilhadas da semana

Subir