Reflectindo…

Observando o raiado branco no azul do céu que ilustra este meu Agora, pelo tempo que a Natureza o permitir, inspira-me a reflectir de que aprecie ou não a minha condição actual de vida, pois nesta altura deveria estar a concretizar todos os meus sonhos desenhados com base naquilo que projectava no Agora do passado, entendo que é exactamente aqui, neste inspira expira que nada posso sonhar, é neste ponto que toda a calamidade se dá se por ventura me atrever a desenhar a minha vida com base naquilo que neste momento é permanente e amanhã deixa de o ser.

As ilusões criadas nos variadíssimos Agoras do passado colocaram-me numa verdadeira encruzilhada pois nesta consciencialização que de momento observo percebo que hoje encontro-me exactamente no lado oposto daquilo que tinha projectado que seria o meu futuro…

E um passado recheado de sonhos onde o outro fazia parte do romance eterno leva-me hoje actuar num cenário em que só eu existo, sem o outro, sem os outros, sem as projecções idílicas anteriormente traçadas.

Com delicada consciência devemos projectar nos Agoras da nossa vida, pois, matreiramente são nos colocadas situações que nos fazem inconscientemente manobrar a nossa vontade. Se o Agora é vivido com base no nosso interior, no florescimento da aprendizagem da nossa Alma tudo é pacífico mas se neste

Agora tornarmos dependente a circunstância para a realização do futuro é certo que as surpresas envolvidas na ilusão vão fazer-nos ruir… Pois nada permanece pelo tempo que gostaríamos, simplesmente tudo se baseia tal e qual um raiado branco no azul do céu por tempo indeterminado, num piscar de olhos tudo desaparece, tudo se transforma.

A liberdade de Ser é conquistada quando pintamos o quadro com formas e cores perfeitamente maleáveis resultando sempre em belas aguarelas como de telas diferentes se tratassem, mas na realidade é sempre a mesma mas possível de ser redesenhada sem sinal de sobreposições.


Patrocinado

Newsletters PT Jornal

O que quer receber?

Mais partilhadas da semana

Subir